TV Box(s) “alternativas” foram destruídas aos milhares pela Receita Federal, na fronteira com o Paraguai

810

Um amigo leitor, que pediu para não divulgar-lhe o nome, me enviou link de uma matéria publicada pelo site Tecnoblog, matéria esta que versa sobre suposta recente operação realizada pela Receita Federal, na cidade de Ponta Porã, Mato Grosso do Sul, município fronteiriço com o Paraguai.

A matéria foi publicada pelo Tecnoblog (que é ligado a um dos grandes portais de notícias do Brasil), com o título de Receita Federal irá destruir 7 mil TV Box de IPTV pirata. No subtítulo a matéria informa que no total já foram destruídos mais de 145 mil TV Box piratas, no Brasil, através de operações da Receita Federal.

Eu acredito ou dou credibilidade a esta matéria e ao conteúdo trazido por ela? Infelizmente não, e digo infelizmente por conta do desrespeito com os leitores aos quais os ditos jornalistas da atualidade, que trabalham para estas mídias engessadas, tem a coragem de se submeter e ser parte.

Vamos então às considerações (e não tomem isto como uma defesa da tv pirata, pois como os seguidores do meu trabalho sabem, eu não defendo e muito menos recomendo este meio para assistir tv fechada):

1) A matéria dá a entender que o motivo da apreensão e destruição dos equipamentos é pelo fato de eles serem equipamentos preparados para acesso não autorizado aos canais da tv por assinatura, o que nem de longe é verdade. No Brasil ainda não há lei que tipifique o uso de equipamentos específicos para o acesso não autorizado aos canais da tv paga, portanto, se não há lei específica, não há este crime específico que a matéria induz o leitor a imaginar que exista.

Aliás, houve no Brasil a tentativa de criação de lei para tal fim, mas que foi muito mal e porcamente conduzida e que inclusive foi motivo de fake news publicada por um portal gigante da internet brasileira, um daqueles que tenta calar quem fala a verdade na internet.

Leia: LEI DA TV PIRATA FOI ARQUIVADA NO SENADO E O QUE O GPS.PEZQUIZA.COM TEM A VER COM ISSO

Siga o link que coloquei acima para você entender um pouco melhor em relação à lei.

2) A matéria não esclarece que os tais TV Box piratas foram apreendidos pelo motivo de descaminho (contrabando). É o mesmo tipo de apreensão que ocorre com um carregamento de perfumes, de brinquedos, de roupas ou qualquer produto que venha do Paraguai, sem nota.

3) A matéria cita a não homologação dos aparelhos, levando o leitor a interpretar tal ponto como também sendo um dos motivos da apreensão. Não é. Se fosse esse o ponto a encaminhamento do processo seria bem outro, como todos os que tentam importar TV Box e outros produtos que contenham restrição de radiodifusão, pela Anatel, bem sabem o que ocorre quando o produto chega na alfândega brasileira.

4) A matéria cita que os produtos “vindos do Paraguai devem estar no Brasil desde antes da pandemia”. Tentando criar um ar de surpresa no leitor, tipo: olha só como esses piratas são perigosos, será que eles estavam com esse estoque no Brasil ou será que eles burlaram o fechamento das fronteiras com o Paraguai para trazer esses TV Box piratas malvadões?

Mas na realidade o repórter que escreveu a matéria devem bem saber (tem a obrigação de saber), que se os TV Box estão mesmo indo para a destruição é pelo motivo de que já se passou todo um trâmite processual, que dura meses e meses, até anos, e que finalmente resultou na ida dos produtos para a destruição.

5) A matéria também requenta um número inventando pelas instituições de combate à pirataria da tv por assinatura no Brasil, e sempre citado a cada publicação do tipo, é o total de lares que se utilizam de tv pirata… e blá, blá, blá. Eles não se dão nem ao trabalho de inventar um novo número, há anos que o número citado é sempre o mesmo, o que indica que na realidade o número citado é falso e pode até ser que seja muito mais que isso, mas o excesso de confiança em enganar os leitores ingênuos faz com que não se deem ao trabalho de fabricar outro número.

Enfim, há mais alguns pontos que a matéria trás, como a admissão de que existem TV Box que são usados para fins estritamente legais e aí está outro ponto bastante interessante a se comentar, além de nos mostrar que na realidade essa matéria é provavelmente mais uma para cumprir cota de patrocínio com as instituições de combate à pirataria da tv paga.

Sim, já que as empresas que elas representam ou pertencem ao mesmo grupo ou investem bastante em publicidade nestas mídias, nada mais apropriado que vez ou outra fazer uma matéria tendenciosa sobre o assunto pirataria, colocando informações desencontradas mas que irão surtir um efeito impactante no leitor que não entende muito sobre o que está lendo, é induzido a entender uma coisa que não é a realidade e assim a vida do brasileiro vai acontecendo.

Para mim esta matéria do Tecnoblog tem todo os trejeitos de ter sido feita baseando-se num press release (um resumo enviado pelo interessado no assunto) dando o passo a passo do que deveria ser publicado, quais os números deveriam ser citados e assim por diante.

Realmente pelos motivos malucos deste ano de 2020, está difícil de se encontrar bons TV Box no mercado, e quando se encontra é com preços absurdos. No entanto eu duvido também que seja por motivo de muitas apreensões dos aparelhos na fronteira com o Paraguai.

Entra pro nosso canal no Telegram clicando aqui, clica agora aí vai!

.