TV BOX PIRATA BARATO À VENDA NA LOJA BRASILEIRA MULT1C01S4S??? Nova estratégia da pirataria

1171

Sobre a venda de TV Box preparada para a captação de canais da tv por assinatura, em lojas brasileiras, com nota fiscal nacional, o leitor Leandro nos enviou o seguinte e-mail:

Vi um video seu sobre TV Box e gostei muito. Bastante explicativo. Parabéns.

Gostaria de saber se você pode me ajudar. Comprei uma TV Box MxQ Pro 4K, na loja Multicoisas, presente em vários Shoppings e ela vem com um App instalado chamado TV Express. Liberei o teste deste App (7 dias gratuito) e o mesmo dá acesso a vários canais (normalmente vistos em TVs a cabo). Vc sabe se esse tipo de App é legal? Deveria ser uma vez que já vem instalado na TV Box, mas como tem um preço bastante acessível fiquei em dúvida.

Vc poderia ajudar me esclarecendo?

lista iptv legal 73 canais
lista iptv legal 73 canais

Muito obrigado,

Acessei o site da loja Multicoisas para tentar encontrar o produto citado pelo Leandro, no entanto, no site não há o produto e nem outro similar. Provavelmente ele se encontra disponível somente nas lojas da rede, que é uma rede de franquias.

O que eu procurava, neste caso, mais que o produto, é o preço pelo qual ele está sendo vendido, isto por que eu tenho uma grande desconfiança de que a pirataria está tentando uma nova estratégia para continuar nos marktplaces sem a polêmica que existe atualmente em cima de aparalhos como o HTV nessas marketplaces.

Leia as reportagens que já coloquei aqui no GPS.Pezquiza.com sobre o assunto:

HTV 5 À VENDA SITE DA AMERICANAS.COM é a liberação da pirataria no Brasil?!

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EXPULSA HTV BOX DOS SITES PONTO FRIO, CASAS BAHIA E EXTRA

E há outras matérias do tipo no site.

Com TV Box modificados, como é o caso dos HTV e outros mostrados nas matérias acima, não há como se negar que a intenção do produto é piratear a tv por assinatura. O próprio preço exorbitante pedido por esse tipo de produto, que chega a ser 6 vezes mais caro que um TV Box comum, já evidencia que o que se esta cobrando é pela pirataria da tv paga e não pelo aparelho em si.

As TV Box modificadas (receptores IPTV) são portanto uma dor de cabeça que invadiu as marketplaces e até algumas lojas e hipermercados, sempre com muita confusão, como não poderia deixar de ser, além de tudo há a questão moral para a varejista que a vende. No entanto estas varejistas e marketplaces são poderosos pontos de venda para esse tipo de produto (estou falando da tv pirata e não especificamente do TV Box) e este mercado paralelo não quer abrir mão desses pontos de venda. O que eles estão fazendo é se reinventando.

Uma TV Box comum, baratinha, inicialmente não é atrelada a nenhum produto que permita piratear a tv paga. Essas TV Box comuns (que não são modificadas por nenhuma marca como HTV, BTV e outras) são aparelhos com Android puro, igual a um smartphone ou tablet, e no máximo vinham com um media player que permite carregar uma lista de canais IPTV, mas tudo por conta do comprador. Com raras excessões vinham com algum aplicativo mais explícito para a pirataria da tv paga.

Lembre-se, o pessoal da pirataria da tv paga quer ganhar dinheiro e não vai entregar o seu “produto” de graça, pense no preço dos HTV e similares que você consegue compreender isso facilmente.

Como eu já venho explicando aqui há anos, quem compra um HTV na verdade está comprando o acesso a um servidor IPTV pirata que entrega um serviço de qualidade e levando de brinde um aparelho TV Box com configuração muito básica e com firmware modificado pela marca. Ou seja, o produto principal na verdade não é o aparelho. Outro ponto muito importante, a parte do produto que gera problemas com os marketplaces é justamente a que está intimamente atrelada à pirataria da tv por assinatura e não o equipamento em si.

Ora, a sacada que estão tendo então, para vender a pirataria da tv por assinatura em marketplaces e até lojas físicas, como vemos aqui, é justamente não colocar explicitamente a pirataria da tv por assinatura nas TV Box e muito menos modificar esses TV Box comuns para que fiquem atrelados a uma marca específica (essa estratégia de marca de receptor pirata é usada nesse mercado desde o início da tv pirata). Além disso tira-se o peso do preço alto, que impacta na decisão de compra do cliente.

É simples, a pessoa vai lá na loja ou pesquisa no marketplace online, encontra a TV Box comum por R$ 150 (acabei de pesquisar aqui no Google e encontrei em grandes lojas do varejo a mesma TV Box citada pelo leitor, por preço até mais barato), não tem nada de errado na venda e nem na compra deste produto já que não está ofertando diretamente nenhuma forma de piratear a tv paga.

Se a pessoa está pensando em usar para acessar conteúdo legal, como a Netflix, Youtube, aplicativos das próprias emissoras como HBO, Telecine etc. ela estará tranquila com o produto que comprou. É só ligar e usar com os aplicativos legais que ela já tem assinatura.

Se ela compra essa TV Box comum, baratinha, de olho na pirataria, então ela comparou o preço de R$ 150 com o preço de um HTV que é acima de R$ 800 e com certeza comprou a baratinha achando que é a mesma coisa, ou pelo menos similar ao HTV e que está se dando bem por pagar bem mais barato.

Chega em casa esse último comprador, liga a sua TV Box comum e se frustra não encontrando o aplicativo de tv pirata com todo o conteúdo liberado por tempo indeterminado como é no caso dos HTV. O que restaria a ela seria procurar na internet uma maneira de transformar o seu TV Box comum em um HTV e com certeza o que vai encontrar são sugestões para usar listas IPTV que funcionam um tempo e param, ou então contratar um servidor IPTV que vai lhe enviar um aplicativo similar ao do HTV com o conteúdo que ela deseja acessar, pagando uma assinatura mensal ou até mesmo anual.

Mas e se um desses servidores IPTV já tivessem pré instalado seu aplicativo nas TV Box comuns que serão vendidas em marketplaces e lojas físicas de varejo, sendo que esse aplicativo oferta um teste ao comprador e não é, na verdade, uma oferta de acesso ao conteúdo da tv por assinatura pirata nem pela parte do fabricante do aparelho e muito menos pela parte da loja que está vendendo o aparelho em si? Ora, o mesmo tipo de situação poderia ocorrer com smartphones e tablets, por exemplo.

No meio do caminho entre o fabricante e a loja que está vendendo o produto, um dos intermediários da negociação pode ter feito um acordo com um servidor IPTV para o aplicativo deste servidor, ofertando um teste grátis de X dias ao servidor IPTV, fosse pré instalado no TV Box comum. Caberá ao consumidor final acessar esse aplicativo, verificar a oferta do teste, preencher os dados de pagamento se quiser continuar a acessar o servidor IPTV e então liberar o acesso ao conteúdo pirata.

Depois do período de teste o usuário que se cadastrou terá que pagar um valor alto de assinatura para continuar a acessar o conteúdo pirata, a loja que vendeu ou intermediou a venda do aparelho não recebe nada por esta transação de venda de acessa aos canais, ou seja, ela não tem efetivamente nada a ver com a pirataria deste canais, diferente do que ocorre com a venda dos HTV e similares.

Nesse processo todo a responsabilidade pela aceitação e contratação de um conteúdo pirata é toda do consumidor, ele poderia simplesmente ter escolhido ignorar o aplicativo ou mesmo deletar o aplicativo, usando somente aplicativos que dão acesso a conteúdo obtido de forma legal.

Perceberam a nova estratégia? O servidor IPTV continuou a ter uma forma de receber mensalidade para que pessoas que desejam ter tv de graça paguem para assistir esse conteúdo que teoricamente é gratuito. Os TV Box continuam a ser vendidos tranquilamente em marketplaces e lojas de varejo e a pirataria em si passa a ser um acordo somente entre o consumidor final e o servidor IPTV.

E pode ter certeza, esses servidores IPTV que estão lucrando com essa nova estratégia de venda são os mesmos que lucram com a estratégia mais escancarada dos HTV e similares.

Por fim todo consumidor deste tipo de esquema para acessar a tv por assinatura, que sempre está questionando se acessar IPTV por aparelho X ou Y é legal ou ilegal, deve saber que a ilegalidade (ou amoralidade) não está no aparelho em si e sim no acesso ao conteúdo cujos direitos de exploração comercial pertencem a um terceiro que não está recebendo nada por aquele acesso e muito menos deseja que aquele conteúdo seja acessado daquela forma não autorizada.

Fica claro então que o acesso ao conteúdo da tv por assinatura através do aplicativo TV Express e outros similares é ilegal, esteja este aplicativo instalado em uma TV Box, um computador, um tablet, um smartphone, uma smart tv, um video game ou qualquer outro conectado.

Obrigado por ter enviado sua pergunta e continue conosco.

Entra pro nosso canal no Telegram clicando aqui, clica agora aí vai!

.