CONTEÚDO ADULTO SÓ PODERÁ SER ACESSADO COM IDENTIFICAÇÃO DIGITAL… NO REINO UNIDO

304

Olha só mais essa invencionice política, justificada em nome da proteção das crianças, no Reino Unido.

Para acessar conteúdo adulto na internet, mais precisamente conteúdo pornográfico, será obrigatório, por lei, que os cidadãos britânicos se identifiquem digitalmente, a fim de comprovar a maioridade. A lei entra em vigor a partir de abril próximo.

No fundo a lei é, claramente, uma violação à privacidade dos britânicos.

Na prática, todos sabem, deverá se tornar uma lei inócua, já que o uso de um simples VPN, para simular que está acessando à internet a partir de um local fora do Reino Unido, bastará aos britânicos para burlar esta nova lei.

O governo britânico já persegue a anos o acesso ao conteúdo pornográfico e já tentou outras estratégias de identificação dos cidadãos que acessam este tipo de conteúdo. Em 2013 uma medida tentava obrigar as operadoras a bloquear o acesso a conteúdo pornográfico, só sendo possível liberar o acesso após o assinante solicitar à operadora que desligasse o bloqueio para a sua conexão. É óbvio que a medida não vingou.

A nova medida, no entanto, é ainda mais invasiva, já que as informações sobre o acesso a conteúdo pornográfico poderão ser armazenadas, de alguma forma, em algum banco de dados que poderá até mesmo estar acessível pela internet. Uma coisa é você ter o acesso a um tipo de conteúdo bloqueado e pedir para que ele seja desbloqueado, o que não significa que você irá acessar tal conteúdo e muito menos evidencia qual especificamente será o conteúdo adulto que você irá acessar; outra coisa é você acessar, seja lá que conteúdo pornográfico for, e ter a hora, o seu RG e CPF registrados sobre aquele acesso, com detalhes sobre o seu consumo daquele conteúdo (fotos abertas, minutos de vídeo assistidos e por aí vai).

Se esse tipo de informação cair na mão de pessoas mal intencionadas, o que ocorrerá?

O governo britânico declarou que pode até mesmo contratar, como o responsável pela forma de identificação do internauta que desejar acessar o conteúdo adulto, uma empresa terceirizada e privada… Não que uma empresa do próprio governo também não seja ruim no caso.

Reforçando, a medida seria para tornar a internet mais segura para crianças, mas todos nós sabemos que geraria, na realidade, um comércio ilegal de identificações eletrônicas que continuariam a permite menores de idade de acessar o conteúdo adulto.

Todos tem certeza de que o governo britânico sabe que não conseguirá bloquear o acesso ao conteúdo adulto simplesmente editando uma lei. A grande questão que fica é a seguinte: para que o governo britânico quer um banco de dados identificando quem acessa conteúdo pornográfico e qual especificamente é o tipo de conteúdo pornográfico que o cidadão acessa?