[Terra Plana] Por que os GPS não localizam aviões e navios acidentados

605

Acredito que por conta de uma série de vídeos que fiz no Youtube, intitulados “Satélites existem mesmo que a Terra seja Plana”, recebi o seguinte e-mail com questionamento do leitor Valmir:

Vi uma matéria no seu blog sobre satélite. Só uma curiosidade, porque com tanta tecnologia não existe um único satélite que monitora navios e aviões? Lembra quantos acidentes no mar e ninguém faz ideia de onde caiu. Quando nunca mais encontram. Só se ouve falar ” último contato com o radar” muito estanho vc na acha ?
Agradeço se me sanar essa dúvida.
Abraços

Leia: Satélites Existem mesmo se a Terra for Plana

Mesmo se considerarmos que há dificuldades para o rastreamento de geolocalização dos veículos citados pelo Valmir, devo considerar que estas dificuldades não deveriam ser empecilhos assim tão dificultosos para que em muitas situações se torne praticamente impossível a localização dos aviões ou navios acidentados somente com a ajuda de rastreamento GPS.

Vamos lá falar de algumas destas dificuldades: não é somente o fato de haver a tecnologia do GPS presente em todo o planeta e além desta as tecnologias que replicam técnica de geolocalização semelhantes, como a constelação de satélite Galileo e o Beidou; não é somente o fato de existir sinal permanente destas tecnologias que a localização dos veículos acidentados em qualquer ponto do planeta está garantido. Há também a necessidade de haver tecnologia de comunicação para que seja possível a transmissão da geolocalização do veículo, no ponto onde ele se encontra, mesmo acidentado; para a central de monitoramento que irá acionar a operação de resgate daquele veículo e tripulação.

Há que se considerar então que existam nos veículos citados aparelho dotado das duas tecnologias e que elas estejam ativas para que ocorra a geolocalização monitorada em tempo real. Consideremos, a tecnologia GPS é de uso barato e farto, mais que isto, todos os aviões e navios a usam para que seus pilotos possam guiar as suas naves/embarcações seguindo uma rota correta. No entanto a tecnologia de telecomunicação móvel varia bastante de valor e disponibilidade, dependendo do local onde se deseja usar esta tecnologia.

Pensando nestes fatores, devemos então considerar que as frotas de aviões e navios de uso comercial mais “pesado” usam o sistema de geolocalização monitorada e podem ser encontrados em tempo real para a quase totalidade das viagens que executam, com excessão de algumas áreas em especial. Já muitas das pequenas embarcações e dos pequenos aviões costumam optar por não usar a geolocalização monitorada justamente pelo motivo do elevado valor que pagariam para tal e também por executarem rotas que em geral são menores onde é possível que se faça uma localização calculada da rota prevendo um possível local do acidente, se este ocorrer.

As grandes aeronaves/embarcações só terão problemas de geolocalização monitorada naqueles locais onde há vegetação hostil, por exemplo, uma floresta com vegetação mais densa e alta consegue ocultar destroços de um avião com grande facilidade, dificultando o trabalho de uma equipe de resgate se a caixa preta do avião se deslocar para muito distante dos principais destroços. A mesma dificuldade pode ocorrer em locais onde o acidente ocorra na água; rios, mar e outros onde haja uma correnteza e profundidade considerável podem espalhar rapidamente os destroços por muitos quilômetros de distância, promover um rápido afundamento de destroços de tamanho maior e bloquear ou confundir o sinal de localização por rádio do veículo acidentado, fazendo a equipe de resgate se desviar por dezenas e até centenas de quilômetros fora do real local do acidente.

Quanto mais isolada e homogênea é a área geográfica onde o acidente ocorreu, mais complicado fica.

Há também que se falar que há questões políticas em algumas regiões do planeta que levam as autoridades a não informarem com veracidade questões que envolvem alguns acidentes com aviões ou navios, ocultando o que realmente ocorreu em determinados acidentes.

Ainda em se tratando de questões políticas, há também algumas regiões do planeta que são áreas de sombra para o sinal dos satélites pois as forças militares destes lugares usam tecnologia de bloqueio ou embaralhamento do sinal destes satélites. A Rússia declaradamente usa este tipo de tecnologia de embaralhamento de sinal dos satélites de comunicação e GPS alegando, para isto, a proteção da privacidade de algumas de suas autoridades governamentais.

Para além disto, esta questão de se encontrar/monitorar ou não aviões ou navios ainda lida com diversos outros detalhes. Também lida com diversos mitos, como o mito de que não é fácil ou possível localizar “todas” as aeronaves ou navios acidentados, o que, felizmente, é somente um mito. A realidade é que, em se considerando a quantidade de aviões e navios em operação no mundo e em se considerando a quantidade de acidentes envolvendo estes tipos de veículos, apenas uma porcentagem muito pequena dos acidentes com estes aparelhos realmente gerou grandes dificuldades de localização, muitas destas dificuldades por fatores citados acima.

A maioria dos acidentes são rapidamente localizados, principalmente quando ocorrem em áreas mais urbanizadas.

Felizmente estes acidentes não são tão frequentes quanto a mitologia também dá a entender.

Um abraço a todos e continuem conosco.

Entra pro nosso canal no Telegram clicando aqui, clica agora aí vai!

.

allow=”accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture” allowfullscreen>