Reviravolta na migração Banda C para Banda KU – Star One D2 será o único satélite oficial

272

Star One D2 será o único satélite que receberá oficialmente os canais abertos (TVRO) que migrarão da Banda C para a Banda KU. Com isto os canais que eram transmitidos através da posição orbital 70W continuarão a ser retransmitidos apenas através da posição orbital 70W. Oficialmente seria também usada posição orbital 43W, do satélite da Sky, apesar da lista de migração de canais da Banda C para a Banda KU conter outros satélites.

A informação da imprensa especializada é de que o Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz, Gaispi, criado pela Anatel no final de 2021, tomou a decisão pelo uso oficial apenas do Star One D2 em votação neste dia 16 de março.

O presidente Moises Moreira, que preside o Gaispi, conduziu a decisão e foi um dos principais articuladores pelo uso único do Star One D2, satélite que pertence à operadora de satélites Embratel, empresa do bilionário mexicano Carlos Slim.

Moreira justificou a decisão sob argumentos técnicos: “O edital fala em uma posição orbital, com um apontamento, e tem que ser a posição orbital com maior capacidade”. Ele também descartou levar em consideração as necessidades comerciais das emissoras de tv atingidas pela decisão: “Nós não podemos olhar para questões comerciais das emissoras”.

O Gaispi também justificou que a posição orbital 43W não é uma posição orbital pertencente ao governo brasileiro o que gera riscos à continuidade da prestação de serviço de retransmissão dos canais abertos na Banda KU.

As representantes dos canais de tv, Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel), protestaram da decisão mas foram “voto vencido”.

Apesar da decisão do Gaispi, a única vantagem real para as emissoras que fazem parte da migração é que o investimento para migrar a estrutura técnica da atual Banda C para uma estrutura para Banda KU será pago pelas operadoras de telecomunicações que venceram o leilão do 5G. Lembre-se, a limpeza das frequências Banda C servirá para evitar interferências entre o sinal 5G e as transmissões de satélite em Banda C.

Mas o mais provável é que diversas emissoras abrirão mão desta suposta vantagem financeira para fazer suas transmissões através de outros satélites Banda KU. Esta decisão se justifica pelo custo de retransmissão ao longo do tempo, já que os canais deverão pagar por esta retransmissão de seus sinais através dos satélites que eles optarem por usar. Quanto mais nobre a posição orbital, mais caro é esse custo de retransmissão.

Outro ponto que se deve ficar atento é que à medida que a Banda KU aberta se popularizar, deverão surgir muito mais emissoras transmitindo através da Banda KU com sinal aberto.

O que você achou da decisão da Anatel?

Compartilhe e continue no GPS.Pezquiza.com.