GVT deixa de existir em breve e passa a se chamar Vivo

1168

Para quem tinha dúvidas sobre qual marca iria prevalecer quando a Telefônica comprou a GVT, agora não resta mais dúvidas.

A Telefônica, que há tempos incorporou a Vivo e acabou optando por esta marca aqui no Brasil, desta vez quando finalizar a incorporação de todas as operações da GVT no Brasil continuará a optar pela marca Vivo.

A aquisição da GVT trará um grande impacto para a marca Vivo pois ela incorpora algumas operações que às quais a Vivo não tinha presença ou não tinha presença relevante, como a telefonia fixa por cabeamento, a internet fixa por cabeamento e a a tv por assinatura com a marca Vivo em todo o Brasil.

Lembrando que agora a Telefônica controla duas operações de DTH para o Brasil, através dos satélites Amazonas e Galaxy 11, que estão bastante próximos um do outro, sendo que o satélite Amazonas está na posição 61W e o Galaxy 11 na posição 55,5W.


É interessante notar que quando o satélite Amazonas 1, que também servia a Telefônica com Banda KU, foi removido da posição orbital 61W, ele foi deslocado para a posição orbital 55,5W, onde já se encontra-va o satélite Galaxy 11 que serve à GVT TV em Banda KU, sob a desculpa de uma parceria entre a Hispasat e a Intelsat para compartilhamento de transponders entre seus satélites.

Isto ocorreu em maio de 2014 conforme falamos na matéria Satélite Amazonas 1 fará par com satélite Galaxy 11 na posição 55,5ºW .

Isto indica que naquela época já havia uma negociação entre as operadoras para a venda da GVT para a Telefônica?