TV por Assinatura perdeu 300 mil assinantes, analise comigo

250

A perda de assinantes na TV por assinatura neste final de ano corresponde a quase 2% da base total de assinantes, vamos tentar entender juntos.

A situação da TV por assinatura já foi bem emlhor, no momento parece ruim mas tenho que concordar com a múdia alinhada com as principais empresas de tv paga: apesar da perde houve uma certa melhora para a TV paga no Brasil nos últimos dois anos.

Primeiro vamos relembrar o melhor momento da tv paga no Brasil, que chegou próximo de 20 milhões de assinantes em meados de 2016-2017. Esses números refletiram um clima de otimismo com o mercado de tv por assinatura brasileiro que, acreditem, tinha previsão de chegar a 48 milhões de assinantes em 2017, segundo previuões de uma consultoria que atuava para este mercado.

Relembre: TV por assinatura brasileira com 48 milhões de assinantes… em 2017

Todos nós sabemos que a realidade para o mercado de tv paga, por aqui, foi bem outra. Houve um cenário de perda com média aproximada de 1 milhão de assinantes por ano, desde que se alcançou o pico de assinaturas nas operadoras. O mercado cehgou a recuar para 14,9 milhões de assinaturas em outubro de 2019 e entre outubro e novembro de 2021 registrou 16,4 milhões de assinantes.

Esse viés de crescimento (2020-2021) veio no momento em que as pessoas se viram obrigadas a se “isolarem” por mais tempo em suas casas, preocupadas com a crise sanitária vivida não só no Brasil, mas em todo o mundo. Agora que a necessidade de se isolar diminuiu substancialmente, a TV paga perdeu em média 1% da sua base de assinantes por mês, ou seja, cerca de 150 mil assinantes cancelaram mensalmente a tv paga no Brasil no final do última ano.

É sim, um cenário preocupante, por mais que as operadoras de tv tradicionais tenham respirado um pouco melhor nos últimos dois anos.

Eu acredito que o viés de perda permaneça e até mesmo acelere neste ano de 2022.

A fatia do bolo referente à cada operadora de tv paga é tão desigual que é muito complicado prever se as pequenas operadoras sobreviverão neste ano de 2022. Olhem só como estão posicionadas as assinaturas no Brasil:

– Claro Tv lidera com aproximadamente 43% dos assinantes brasileiros,

– Sky é a segunda com mais assinantes com aproximadamente 29% dos assinantes

– Oi TV é a terceira colocada com cerca de 20% dos assinantes, e

– Vivo TV tem cerca de 7% dos assinantes.

Somou tudo aí? Sim?! 99% dos contratos da tv por assinatura no Brasil estão na mão destas quatro operadoras, são cerca de 16,2 milhões de assinantes. Sobraram 164 mil assinantes em todo o Brasil para as outras operadoras de tv sobreviverem.

Está acontecendo o óbvio, pequenas operadoras já fecharam as portas no final de 2021 e as que ainda se aguentaram para 2022 precisam ter um modelo de negócios muito bem pensado para que consigam sobreviver. O nome mais lembrado entre as que fecharam foi a Tecnoserve, que em um bom momento anterior havia sido listada pela Anatel entre as 10 maiores operadoras do Brasil.

Se bem que estar entre as dez maiores em um mercado em que as quatro maiores dominam 99% parece não significar tanto assim, não é mesmo?

Ainda segundo dados da Anatel, a Região Nordeste era a que havia acrescentado mais assinantes à tv paga em 2021, com 66% a mais de assinantes naquela região, mas entre outubro e novembro de 2021, meses consolidades neste relatório, houve um cancelamento de cerca de 6% de assinantes nordestinos.

Mas a região Centro Oeste foi a que proporcionalmente perdeu mais assinaturas, com 11%.

A realidade é que já não vêmos aquele momento de euforia vivido entre 2010 e 2016 para a tv paga tradicional.

Se o mercado de tv por assinatura tradicional brasileiro não mostrar um forte em 2022 e 2023, é provável que a tv por assinatura como a conhecemos hoje perca totalmente sua vialidade financeira e seja completamente substituída pelas plataformas independentes das produtoras de conteúdo e por modelos diferenciados que vem sendo semeados discretamente ao longo destes últimos cinco anos.

A evolução tecnológica não respeita tradição alguma.

Clique aqui e se impressione com as manchetes aqui do GPS.Pezquiza.com, nos últimos 10 anos, falando sobre o número de assinantes na tv paga brasileira.

Compartilhe e continue no GPS.Pezquiza.com.