[Relato Pessoal] Governo brasileiro me humilhou por eu ser deficiente visual

101

Esta publicação é destinada aos meus seguidores mais assiduos e trás um relato pessoal de um momento revoltante que estou vivendo por conta dos desmandos e descaso impostos pelo governo do Brasil. Se você não conhece há muito tempo é bem provável que não tenha a menor importância este relato para você.

Você deve bem saber que tenho uma doença, no meu caso genética, degenerativa da visão. O que ocorreu, no meu caso, foi já ter nascido com Glaucoma que é tratado desde os 9 dias de nascido.

Pois bem, atualmente tenho 47 anos e há cerca de 2 anos a minha perda de acuidade visual chegou a 90%. Isso mesmo, só me resta 10% de acuidade visual, o que além dos transtornos da vida diária, tem me gerado também muitos transtornos financeiros pois já não consiguia e nem consigo mais produzir nem perto do que fazia há poucos anos atrás.

Faz muito tempo que não sei o que é ler em papel e muito menos outras atividades corriqueiras como ler os preços no supermercado, por exemplo.

No segundo semestre de 2021 a minha esposa se empregou em um local a família passou a ter um plano de saúde, coisa que a gente já não conseguia pagar há uns 4 anos. Retomei então o meu tratamento dos olhos e no mês de novembro passado me submeti a mais uma cirurgia (já sem submeti a 16 nos últimos 10 anos), a fim de tentar estabilizar a pressão ocular. Em fevereiro, com a pressão mais estável e na esperança de encontrar algum recurso que me ajudasse a melhorar um pouco a minha condição visual, fui a uma especialista em reabilitação de deficientes visuais que me apresentou lupas, objetos para mudança de contraste visual, óculos de aumento e também uma lupa eletrônica com tela LCD, o que no meu caso é essencial pelo aparelho emitir luz (como no caso da tela do computador) facilitando assim que eu identifique o que está sendo mostrado.

A tal lupa que me foi apresentada pela especialista, aqui no Brasil, foi ofertada pelo preço de R$ 14 mil. Por si só é um absurdo, um dispositivo para acessibilidade para pessoas com deficiência que, de outra maneira, não terão como retomar aquela porção visual que lhes é necessária, sendo vendido por um preço praticamente impossível de ser pago por 90% dos brasileiros.

Como os amigos sabem que eu tenho grande experiência em encontrar produtos para importação, fucei nos sites internacionais até que encontrei no Ebay uma lupa semelhante (não igual) que atendia às minhas necessidades, por R$ 300. Isso mesmo, R$ 300 fora ou R$ 14 mil no Brasil (tem por R$ 8 mil também), o que você escolheria? Na maioria dos casos (assim como o meu) não tem nem escolho, vi alí uma oportunidade de melhorar a minha condição visual no dia a dia.

Comprei a lupa, mandei para o sistema de redirecionamento que sempre recomendo aqui no GPS.Pezquiza.com, o MyVipBox; que me enviou a lupa para o Brasil. Como eu não tinha conseguido comprar para o meu filho, no Natal, um presente mínimo possível, comprei um daqueles fidget toy em formato de personagem de um jogo de videogame que ele gosta e mandei vir na mesma encomenda. Custou o tal brinquedo a incrível quantia de R$ 2,79.

Foi na chegada no Brasil que começou o meu tormento. A Receita Federal barrou a encomenda na alfândega alegando que era descaminho pois (vejam só o veredicto do fiscal) eu havia comprado a tal lupa eletrônica para revender no Brasil. Solicitaram que enviasse documentos justificando o tal contrabando.

Tirei cópia dos documentos que comprovam a minha deficiência visual e, tal como pediram, escrevi a justificativa de importação e a explicação sobre o que eram os objetos.

Isso no começo do mês de março. O tal rastreamento no site Minhas Importações vem me cozinhando, desde então. Atualização falando sobre o que estava acontecendo, quase nunca. quando atualizam era para colocar que a documentação estava em análise, ainda.

Bem pois, hoje atualizaram colocando uma data retroativa de 15 de maio de 2022 para informar que OCORRENCIA NÃO RESOLVIDA – VERIFICAÇÃO FÍSICA REQUISITADA – Prazo de regularização encerrado
CURITIBA – PR – Por favor, aguarde. Objeto em análise de destinação.

Em 90% dos casos essa atualização significa que eles irão destruir a encomenda por alegação de contrabando.

Os outros 10% restantes indica que a encomenda será devolvida ao remetente, o que não vem a ser o caso deste objeto específico pois foi bem informado para a Receita o uso de um serviço de redirecionamento de encomendas para este encomenda.

4 meses de espera, nesse período é óbvio que o aparelho não deixou de ser essencial para o meu uso mas eu ainda não o tenho e agora, com esta notícia, tenho a certeza que ainda não o vou ter.

É revoltante uma situação destas. Infelizmente é mais uma prova de que as pessoas, principalmente as que tem o poder da repressão estatal, perderam a noção de humanidade.

É dificil descrever a tristeza que uma situação dessas gera, é só quando a gente entende o que significa precisar de uma determinada coisa essencial e ser proibido de ter por uma força de repressão, como é nesse caso, é que é possível entender.

Que Deus dê a cada um conforme o que entender mais justo.

Vida que segue.