Energia Limpa é o novo Bitcoin! Você vai perder esta oportunidade?

29

Sobre a grande valorização que o Bitcoin obteve, desde a sua criação há pouco mais que uma década, fazendo milionários muitos dos que investiram nesta moeda digital quando o valor de cada unidade de Bitcoin ainda era somente uma pequena fração do que é hoje em dia e do muito mais que foi há algum tempo; vejo muitas pessoas se lamentando por não terem acredita, conhecido ou investido na moeda há alguns anos.

Uma grande oportunidade é fácil de ser detectada depois que já está bem estabelecida mas não é fácil de ser aproveitada depois que está neste ponto pois o seu momento de melhor retorno financeiro (ou retorno financeiro menos complicado de se obter) já passou.

O que tornava “fácil” para os mais visionários detectar que o Bitcoin era uma oportunidade imperdível era o fato de o Bitcoin estar posicionado em um mercado em que 99,9% da população mundial está obrigada a utilizar todos os dias: o dinheiro. Se uma pessoa utiliza dinheira, praticamente não há como ela ignorar a existência do Bitcoin ou não ter sido confrontada com a possibilidade de precisar usar a criptomoeda pelo menos uma vez na vida.

E os visionários estavam certos, a moeda simplesmente decolou e foi muito além da Lua, como gostam de dizer os investidores que enriqueceram por terem acreditado no Bitcoin desde o seu começo.

O “ponto fraco” para o Bitcoin é que ele está à margem da economia regulada pelos governos, o que torna, a cada dia, mais difícil de se extrair lucro desta moeda sem que se corra grandes riscos e sem sofrer uma pesada pressão estatal com risco de severas punições orquestradas pela máquina estatal.

Mas e se existisse um produto com as boas características visionárias que haviam para o Bitcoin e ao mesmo tempo não tivesse o ponto fraco do Bitcoin frente à máquina estatal, será que você entraria nesta nova oportunidade ou ficaria inventando desculpas? Pois eu posso te afirmar com certeza que este produto existe, assim que também com certeza 99% das pessoas que podem “investir” neste produto agora, vão ficar inventando desculpas e não tomarão a ação que poderá a lhes dar um grande conforto financeiro no futuro.

Este produto é a ENERGIA LIMPA, é um produto do mercado de energia o qual 100% das pessoas que vivem de modo civilizado utilizam durante praticamente 100% do seu tempo e não abrirão de utilizar pois praticamente todos os aspectos da sua vivência diária dependem de energia. Mais que isto, em pouco tempo as pessoas serão obrigadas a utilizar ENERGIA LIMPA pois não conseguirão pagar a alta taxação que será cobrada sobre a geração de energia através de fontes mais agressivas ao meio ambiente. Quem imporá (está impondo) essa elevação de custo às tradicionais fontes de geração de energia que são agressivas ao meio ambiente serão justamente os governos. Estes que podem impor taxações e outras punições mais severas aos seus cidadãos.

Desta forma é fácil entender que há um incentivo para que se adote o uso da energia limpa e o mais rápido possível. A adoção do uso de energia limpa tem se tornado uma solução a cada dia mais vantajosa para o consumidor de energia e na outra ponta, quando bem entendida e implementada, tem se tornado o Bitcoin para os empreendedores visionários que adotarem os melhores modelos de negócio para surfar nesta onda o mais rápido possível.

Não basta se associar a qualquer distribuidora ou franqueadora de energia solar, se dizer uma mpresa de energia solar e sair por ainda vendendo instalação de energia a altos preços para se dizer um visionário da energia limpa e para se visualizar enriquecendo neste mercado. O futuro dos negócios na energia limpa vai muito além disto. É necessário entender pelo menos o básico do mercado de energia, pelo menos o básico do mercado de geração de energia e pelo menos o básico sobre modelos de negócios e de gestão de empresas. Coisa essa que 90% dos atuais empresários da energia solar ignoram completamente, pior que isto, fazem questão de não saber.

E é aí que se abrem as oportunidades para as pessoas que ainda não entendem muito mas tem grande força de vontade e disposição para entender e para se posicionarem.

ENERGIA LIMPA: por qual motivo a oportunidade “surgiu” agora?

Apesar de já se falar e conhecer há alguma tempo sobre sustentabilidade e energias renováveis, somente agora, com a ocorrência que afetou todo o mundo e com a Lei 14.300 de janeiro de 2022 (Marco Legal da Energia Distribuída) aqui no Brasil, é que temos regras claras e “estabilidade jurídica” para que diferentes modelos de negócios possam ser ofertados na geração de energia sustentável, energia limpa, sem o risco de um confronto governamental.

É melhor que isto, para os que podem investir neste mercado e que conhecem os modelos corretos de implementação de negócios no mercado de energia limpa, há um incentivo governamental para isto. Essa estabilidade jurídica e esse incentivo estatal puxaram grandes investidores para o mercado de energia limpa, utilizando de suas marcas renomadas para a obtenção de grandes lucros na migração para a matriz energética sustentável.

Basta fazer uma pesquisa rápida e você irá encontrar a tradicional marca de cervejas Heineken e a operadora de telecomunicações Claro, se posicionando e atuando neste mercado. E isto é só um exemplo rápido.

A Claro por enquanto oferta suas soluções para um mercado mais corporativo, já o caso da Heineken é muito interessante para nós que somos a maioria da população e queremos saber onde realmente está o dinheiro no mercado de Energia Limpa e Sustentável.

Como qualquer um pode ganhar dinheiro de verdade no mercado de energia sustentável?

Vamos usar o caso da Heineken como exemplo: ela fechou parceria com grandes investidores que implementam grandes usinas de energia fotovoltaica e, aproveitando o incentivo governamental e as novas regras citadas acima, “vendem” essa energia direto ao consumidor final (nós consumidores residenciais e comerciais) utilizando a mesma rede distribuição de energia das concessionárias de energia tradicionais.

Como a implementação e manutenção das usinas de energia sustentável é muito mais rápida e menos onerosa que o das outras fontes geradoras de energia, tanto os investidores na implementação destas usinas quanta a marca Heineken que é quem “puxa” os clientes para consumirem energia limpa de suas usinas paceiras, lucram muito com isto.

As distribuidoras de energia continuam a lucrar, é claro, pois elas continuam a fazer o trabalho que sempre fizeram, que é distribuir a energia. Se você não sabia, saiba agora: distribuidora de energia (concessionária), não gera energia elétrica, ela só compra esta energia elétrica de quem a gera e vende essa energia para você, colocando o lucro dela em cima. É a mesma lógica de uma distribuidora de bebidas, ela não fabrica a Coca Cola, ela compra da fábrica e revende para você.

Menos de 1% dos consumidores residenciais brasileiros estão conectados de forma direta (voluntária) a uma usina fotovoltáica.

Quando eu cito de forma voluntária, quero dizer de forma a obter algum desconto e/ou outros benefícios por conta desta conexão. O consumidor se apresenta (cadastra) para consumir somente energia limpa e se coloca apto a receber o benefício por esta opção.

Logo se entende que há muito espaço para o crescimento deste mercado voluntário de consumo de energia limpa e sustentável e que é uma excelente oportunidade para quem se posicionar da maneira correta, nele.

O modelo de negócios da Heineken para a venda de créditos de energia limpa (desconto na conta de energia) ao consumidor final é fechado entre a perceria dela com as usinas parceiras dela. É um excelente e lucrativo modelo e gera um consumo cativo, ou seja, a pessoa que começa a aproveitar esse desconto hoje vai permanecer cliente por muitos anos, afinal ela não vai querer pagar a conta de luz cheia se pode pagar com desconto.

A boa notícia é que qualquer pessoa comum pode também ganhar dinheiro (até muito dinheiro) com este modelo de negócio no mercado da energia limpa. Como? Simples, fazendo o papel da Heineken para uma empresa que trabalha com o mesmo modelo de negócios e que paga comissão para quem captar os clientes para consumir das usinas às quais esta empresa é parceira.

Sim, esta empresa existe, o mercado para você fazer a captação de clientes para ela, como visto acima, é enorme e você pode pedir o cadastramento (licenciamento) para começar a fazer esse trabalho clicando aqui.

É importante que você saiba o licenciamento não é gratuito, pois ele é semelhante (no meu ponto de vista é bem melhor) a ter adquirido uma franquia de energia solar. Sabe aquelas franquias de energia solar que cobram por aí R$ 30 mil para você ser franqueado e trabalhar de sol a sol instalando painel solar, pagando royaltie para a franqueadora, se arriscando e no final recebendo uma porcentagem mínima do valor final da instalação? Pois é, esta empresa também oferece a instalação de energia solar, você também poderá vender instalação de energia solar com a diferença que não é você quem vai fazer o serviço pesado e ainda por cima vai ganhar uma boa comissão sobre o valor de venda do sistema solar.

Estou falando da iGreen, uma das empresas que mais cresce neste mercado de energia limpa justamento por buscar a parceria com pessoas comuns, como eu e você, e repartir com estas pessoas boa parte dos lucros que obtem na captação de clientes para o consumo de energia limpa e instalação de sistemas solares (que fazem parte da matriz sustentável beneficiada recentemente pelo governo federal).

E é por conta dos benefícios ofertados pela iGreen para os seus parceiros e para os seus clientes, que eu posso afirmar sem sombra de dúvidas que o modelo de negócios antigo da energia solar, onde você monta uma empresa de energia solar e sai por aí captando clientes, terceirizando serviços de homologação e instalação e pagando altos royalties para franqueadoras está fadado a desaparecer ou gerar muito mais prejuízos a quem se propõe a continuar nele.

Sim, eu estou trabalhando com a iGreen, estou muito satisfeito com o modelo de negócios e o retorno e principalmente a recorrência (pagamento mensal) de comissão sobre os clientes que passam a receber o desconto mensal na conta de energia e foram prospectadose captados por mim.

E quando o cliente deseja comprar um sistema de energia solar, ao invés de ter o desconto na conta de luz, eu também estou lá pronto para servir ao cliente, como estava anteriormente com a franquia de energia solar; só que desta vez de forma muito mais leve para mim e muito mais compensatória financeiramente.

O trabalho de divulgação e captação para o consumo de energia limpa, através da iGreen, assim como o que ocorreu com o Bitcoin quando foi lançado, é um trabalho que em muitas ocasiões gera uma barreira no cliente pois ele não entende as minúcias do mercado de energia e que isto é possível mas também, assim como ocorreu com o Bitcoin, a gente vai conseguindo crescer financeiramente de grão em grão e é um pote que só vai se enchendo e acrescentando, até chegar num ponto em que você está sendo muito bem recompensado pelo seu esforço.

A lógica é simples, todo mundo precisa e não tem como ficar sem consumir energia; a matriz energética brasileira está deficitária enquanto a demanda por energia só cresce; a única matriz energética que pode ser instalada de forma rápida é a matriz fotovoltáica; as usinas fotovoltáicas conseguem se expandir mais rapidamente quando captam clientes para o consumo direto no mercado; com o crescimento da matriz fotovoltáica diminui-se o uso de termoelétricas e com isso a necessidade de bandeiras tarifárias exageradamente caras; o consumidor que adere às usinas com geração fotovoltaica ganham um belo desconto e na iGreen ainda tem muitos outros benefícios…

Ou seja, é um jogo em que todo mundo ganha, principalmente quem é visionário e escolhe este modelo de negócios neste seu momento inicial, com todo um grande mercado a ser explorado, para começar a trabalhar.

Clica aqui, me chama no WhatsApp, pede mais informações e vem ser um licenciado da iGreen junto comigo. É uma oportunidade excelente para todos que não tem medo de dar a cara a tapa e enfrentar o dia a dia de oferecer algo novo. Mas também é uma oportunidade excelente para quem já tem uma boa carteira de clientes com os quais já vai poder começar a captar consumidores para a energia limpa e formar a sua primeira base de comissões recorrentes mensais.

A energia limpa é o novo Bitcoin e a iGreen é a sua carteira digital onde você irá sacar o resultado do seu pioneirismo neste mercado.

Você acha que grandes marcas como Heineken e Claro estariam nesse mesmo modelo de negócios se não fosse uma opção boa e confiável?