VOCÊ PERDERIA A VAGA DE EMPREGO SE A EMPRESA OLHASSE AS SUAS REDES SOCIAIS? 22% DAS PESSOAS SIM

356

O que aconteceria se uma empresa que estivesse recrutando para vagas de emprego resolve-se dar uma olhada em seus perfis nas redes sociais? Se você nunca se preocupou com isso é melhor pensar novamente pois a prática de investigar as redes sociais está se tornando cada dia mais frequente por parte das empresas que desejam contratar.

Uma pesquisa realizada pela Infojobs, uma plataforma online para quem busca emprego, atuante em diversos países do mundo, demonstrou que cerca de 51% das empresas, após selecionarem os candidatos que acham mais interessantes para ocupar a vaga de emprego, consultam os perfis sociais destes candidatos nas redes sociais Facebook, LinkedIN, Twitter e Instagram, sendo que, após esta investigação das redes sociais, descarta cerca de 22% destes candidatos.

O facebook é a rede social que mais “derruba” os pretendentes à vaga de empregaso e por isto é a rede social à qual as empresas mais priorizam para fazer a verificação online dos candidatos.

O que os investigadores buscam no facebook são detalhes da vida pessoal e modo de pensar do entrevistado, coisas que geralmente o pretendente deseja esconder na entrevista de seleção.

O LinkedIN é a segunda rede social mais investigada, por isso mantenha suas informações nesta rede o mais atualizadas possíveis e semelhantes aos currículos que disponibilizar para os selecionadores.

Por fim, Twitter e Instagram, nesta ordem, são as redes sociais no momento menos priorizadas por quem oferece uma vaga de emprego, mesmo assim uma parcela considerável deles também dá uma olhadinha nos perfis que estão colocados nelas, 41%.

Por outro lado também está se tornando cada dia mais comum conseguir informações que empregados e ex-empregados colocam em sites e redes sociais sobre como é trabalhar nas empresas bem como é a política da empresa para com os seus empregados. Há uma boa parcela de pessoas a procura de emprego que afirmam que, antes de enviar seus currículos para as empresas, pesquisam qual é a reputação que estas empresas tem frente aos seus empregados.

    COLOQUE seu nome e e-mail abaixo para receber nossas notícias. +100 MIL PESSOAS já cadastradas!!!
    CHEQUE AGORA SUA CAIXA DE ENTRADA para ativar a inscrição no e-mail de confirmação que foi enviado para você

Fazer perguntas online para pessoas que declaram trabalhar para as empresas recrutantes também está se tornando prática comum.

70% dos pretendentes a vagas de emprego afirmam já terem recusado propostas de emprego por conta da má reputação das empresas que os estavam recrutando.

O que os entrevistadores procuram nas redes sociais dos entrevistados que pode ocasionar na perda da chance de se empregar?

– Imagens politicamente incorretas.
– Comentários indevidos sobre assuntos polêmicos.
– Discussões online que demonstre que o candidato não sabe conviver com os seus pares.
– Fotos que demonstrem vícios atuais ou mesmo antigos do entrevistado.

Para se prevenir contra aquilo o que você publica na internet e pode lhe causar algum prejuízo ao procurar um emprego, o melhor é que você coloque em privado tudo aquilo o que você sabe que poderá lhe causar algum prejuízo futuro.

Outra boa dica é compartilhar nestas redes sociais os seus (bons) conhecimentos sobre a área profissional em que atua, bem como a sua participação em cursos, conferências, congressos e quaisquer atividades sobre a sua área de trabalho e que possam ser vistas com bons olhos pelos recrutadores. Tome esta ação principalmente no LinkedIN e no Twitter.

E se você está empregado, também é prudente que se prevena em relação às suas postagens em redes sociais, pois também já está se tornando prática frequente as empresas (e os colegas amigos da onça) investigarem as redes sociais dos seus empregados em busca de algo que não seja condizente com a imagem interna e/ou externa que esta empresa deseja passar. Você não quer ser dispensado do seu emprego por uma postagem mal pensada não é mesmo?