Peças similares para o reparo de celulares É pirataria? Mercado ameaçado

1157

Vejam só mais esta: diante da recessão que anda tomando conta de diversos mercados do mundo a estratÉgia das empresas que estão vendo o seu faturamento baixar e fazer o máximo para proteger os seus produtos.

E É exatamente isto o que pretendem as fabricantes de telefones celulares, por enquanto nos maiores mercados para smartphones na Europa, proteger o mercado de peças de reposição para celulares.

O que acontece na Europa É bastante parecido com o que acontece aqui no Brasil, a maioria dos donos de smartphones manda fazer reparos em seus aparelhos, e compra acessõrios para seus aparelhos, em lojas que usam peças similares Á s originais, e não com peças originais, pois o preço das peças similares É metade ou menos que o valor da original.

Tela, Touch, Cases, Baterias e Cabos são as peças similares mais comercializadas por lojas que não são autorizadas pelas fábricas Á  dar assistência a estes aparelhos.

É um mercado que passou anos e anos sem ser incomodado pelas fabricantes de celulares e que É gigantesco, movimentando centenas de milhões de dólares anualmente.

E É de olho nestes montante de faturamente que as fabricantes estão exigindo que os governos considerem a comercialização deste tipo de peças e acessórios como pirataria.

E do lado do cliente as empresas estão argumentando que É um risco muito grande reparar um smartphone caro com uma peça que não tem a alta qualidade da peça original e que pode tornar o aparelho inoperante ou mesmo provocar um acidente para o usuário deste tipo de produto não original.

Por enquanto a questão está em discussão, mas imaginem se a moda pega no Brasil.

Aproveita e assiste tambÉm o vÁ­deo abaixo que eu gravei tentando usar a internet do vizinho.