CHIP RFID USADO EM CARROS NO BRASIL CAUSA PREOCUPAÁ‡ÁƒO SOBRE PRIVACIDADE NA EUROPA E SERÁ OBRIGATÁ“RIO NA CHINA

1350

Você usa aquele chip RFID que serve para cobrar automaticamente a passagem em pedágios e estacionamentos aqui no Brasil? Pois saiba que ele está gerando uma grande polêmica sobre privacidade na Europa e vai se tornar um dispositivo obrigatório em todos os novos carros fabricados na China a partir de julho de 2019.

O x da questão É que o RFID É um chip fácil de ser escaneado e pode carregar em sua memória muito mais informações do que aquelas Á s quais foram declaradas para o usuário de tal chip, com isto É possÁ­vel identificar o carro e teoricamente o condutor do veÁ­culo, bem como a hora e o local por onde o veÁ­culo está se deslocando.

O que por um lado pode ser interessante em questões de segurança por outro pode se tornar um grande problema quando estes dados estão disponÁ­veis para uso de grupos não tão confiíeis.

O debate É bastante polêmico para aqueles paÁ­ses onde o uso do chip RFID É voluntário, como no caso do Brasil por exemplo, onde as pessoas compram e instalam o tal chip por vontade própria, expondo assim a sua privacidade para uma empresa privada – e sabe-se lá com quem ela possa estar compartilhando as informações de deslocamento dos seus clientes, mas É simplesmente impossÁ­vel quando você fala em um regime comunista como É o caso da China.

A China já vem aos poucos implementando instrumentos de controle das ações de vida dos seus cidadãos, como o aplicativo que pontua o cidadão por suas ações e que influencia, entre outras coisas, na obtenção de uma vaga na faculdade que a pessoa almeja cursar. Desta vez a China resolveu que todos os carros fabricados a partir julho de 2019 devem conter em seu parabrisas um chip RFID para identificação do veÁ­culo e condutor.

As vias pÁºblicas da China serão equipadas com leitores destes chips que serão monitorados ininterruptamente por um órgão do governo chines.

A teoria É que os dados serão usados para melhorar a estrutura viária do paÁ­s e para aprimorar as polÁ­ticas de trÁ¢nsito nas cidades, no entanto o que se conseguirá criar É uma grande rede de rastreamento dos carros e cidadãos chineses enquanto eles se deslocarem pelo paÁ­s.

Só mais um instrumento que permitirá ao governo chines manter-se informado sobre qualquer ação praticada pelos seus compatriados. Afinal pra que privacidade em um governo comunista não É mesmo?