Tempestades solares podem interferir no sinal dos satÉlites nesta semana

1163

No dia 19 de dezembro o sol disparou uma enorme tempestade após dias de intensa atividade na nossa estrela.

Registrou-se então uma enorme explosão com classificação classe X1.8, um dos tipos de disparos solares mais poderosos e que foi registrado pelas lentes do Observatório Solar Dynamics da NASA. Esta primeira explosão solar causou interrupção em diversas transmissões de rádio aqui na Terra, tendo atingido o ápice Á s 07h28 da sexta feira.

As labaredas solares foram provenientes de uma região chamada Região Ativa 2242, e espera-se que diversas outras explosões aconteçam na mesma região e a previsão É de que mais interrupções em transmissões de rádio aqui na Terra aconteçam, mas em menor proporção.

Esta no entanto não foi a Áºnica tempestade solar da face do sol voltada para a Terra que aconteceu nesta semana, durante a semana passada outras explosões de classe M8.7 e M6.9 ocorreram, estas explosões foram classificadas como moderadas.

A intensidade das explosões solares de Classe M tem um dÉcimo do tamanho das explosões de Classe X, e podem provocar as famosas auroras solares na região norte do globo terrestre.

Já as explosões solares de Classe X, como a ocorrida no dia 19 Áºltimo, podem desencadear perturbações nos sistemas de comunicação e de navegação GPS da Terra.

O astrônomo Tony Phillips do site de monitoramento do clima espacial Spaceweather.com informou que a explosão solar X1.8 ocorrida na sexta-feira provocou um apagão de rádio de alta frequência sobre a Austrália e o PacÁ­fico Sul.

O sol está dentro do seu perÁ­odo de picos de explosões solares nestes Áºltimos anos, um ciclo de eventos natural que deverá ser sucedido de um ciclo de alguns anos de calmaria.

Se a região de intensa atividade que está voltada para a Terra nesta semana disparar mais uma explosão de Classe X, poderão acontecer interferências em transmissões de satÉlites de comunicações e navegação.


tempestades-solares-interferencia-satelite