SES terá satÉlite com propulsão totalmente elÉtrica e capacidade de transmissão aumentará por isto

903

Fruto de um acordo assinado em 2013 entre a administradora de satÉlite SES, a Agência Espacial Europeia (ESA) e o fabricante alemão OHB, vem aÁ­ uma nova geração de satÉlites para a SES, totalmente elÉtricos.

Isto significa que esta nova geração de satÉlite não terá que carregar combustÁ­vel lÁ­quido para fazer as suas manobras orbitais quando necessárias, economizando em força de empuxo necessária para colocar estes novos satÉlites em órbita.

A economia será grande mas o ganho que a SES terá será muito maior que somente pagar menos para colocar estes satÉlites em órbita.

Sim, pagará menos para colocar os satÉlites em órbitas pois será possÁ­vel desenvolver e usar foguetes menores com a capacidade de colocar o satÉlite em órbita.

Mas alÉm disto, haverá a economia do peso e do espaço que era necessário para guardar a reserva de combustÁ­vel lÁ­quido no satÉite, este espaço será usado para colocar mais equipamentos e aumentar a capacidade de transmissão destes novos satÉlites da SES.

O peso no entanto continuará reduzido pois os equipamentos pesam muito menos que o combustÁ­vel que era necessário ser carregado no satÉlite.

A data de lançamento do primeiro satÉlite com propulsão elÉtrica ainda não foi divulgada.