Satélite brasileiro caiu ontem ao ser lançado de base na China

479

A colaboração entre China e Brasil para o desenvolvimento e lançamento de mais um satélite de monitoramento ambiental, o CBERS-3 (China Brazil Earth Resources Satellite 3), sofreu um revés na manhã desta segunda-feira, 09 de dezembro.

O satélite, que iria ser usado para o monitoramento e controle do desmatamento da floresta amazônica e também iria prestar serviços para o setor de agronegócios da região amazonica, decolou do Centro de Lançamento de Foguetes de Taiyuan, em Shanxi, na China, a bordo de um foguete Long March 4B às 11:26 da manhã.

As autoridades militares da China informaram que o foguete apresentou problemas durante o voo e não conseguiu entrar em órbita, pedaços do satélite foram encontrados hoje na China.

Os chineses classificaram o acidente como um revés raro no programa espacial chines, fato que mexeu com os brios dos militares chineses.

O INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, no Brasil, limitou-se a comunicar que houve uma falha no lançador durante o voo e como conseguência o satélite não foi posicionado na órbita planejada.

O acordo de parceria bilateral China-Brasil para o desenvolvimento de satélites CBERS inicou-se em 1988, o satélite é baseado no projeto chinês Ziyuan 1 e inclui partes vindas de projetos brasileiros.

    COLOQUE seu nome e e-mail abaixo para receber nossas notícias. +100 MIL PESSOAS já cadastradas!!!
    CHEQUE AGORA SUA CAIXA DE ENTRADA para ativar a inscrição no e-mail de confirmação que foi enviado para você

Este seria o quarto lançamento desta parceria, em 1999, 2003 e 2007 outros lançamentos bem sucedidos foram feitos a bordo de foguetes Long March, de fabricação chinesa.

O lançamento do CBERS-3 estava previsto inicialmente para 2009, mas o lançamento foi adiado por diversas vezes e para 2015 está previsto o lançamento do satélite CBERS-4.

Na semana passada a China lançou um foguete para exploração lunar enviando um rover para pesquisa lunar e que deve pousar na lua ainda neste mês de dezembro.

A China tem um ambicioso projeto espacial e quer demonstrar ao mundo que tem condições financeiras e tecnológicas de encabeçar projetos bastante avançados em exploração espacial.

Até 2020 a China afirma que terá uma estação espacial independente e a partir daí vai enviar o seu primeiro astronauta à Lua.

Uma boa notícia para quem esperava mais da exploração espacial neste século desde que os Estados Unidos supostamente abandonaram seus projetos de exploração espacial tripulada.

Satélite CBERS-3 caiu durante o lançamento