O que é o Mapa de Cobertura do Satélite

4886

A área da Terra coberta pelo sinal da radiação de microondas de um satélite, sendo um sinal que tem força suficiente para ser captada por uma antena parabólica é conhecida como footprint de um satélite e é mostrada no mapa de cobertura de um satélite.

O tamanho da área de cobertura do satélite depende de algumas variáveis:

– A localização do satélite em órbita
– A forma e o tamanho do feixe de sinal produzido pelos diferentes transponders do satélite
– A distância da localização em Terra da antena parabólica que está sendo apontada para o satélite.

O footprint pode ser entendido como:

lista iptv legal 104 canais gratis ao vivo
lista iptv legal 104 canais gratis ao vivo

– A área na qual se pode receber o sinal de transmissão de um determinado satélite.
– A área em que um determinado transponder de um satélite pode ser captado (área de visada de um transponder de um satélite).

Um mesmo satélite pode ter mapas de cobertura diferentes para grupos diferentes de transponders que ele transmite pois os transponders em um satélite podem ser destinados à cobertura de diferentes áreas geográficas possíveis para a sua área de visada.

Os mapas de cobertura de um satélite mostram a medida mínima estimada para:

– O diâmetro mínimo da antena parabólica para captar o sinal deste satélite.
– A intensidade de sinal em dBW (decibéis watt) para as diferentes porções de áreas geográficas cobertas pelo satélite.

dBW (decibéis Watt) é a unidade padrão de medição da intensidade de um sinal expressa em decibéis em relação a um watt.

Apesar de os mapas de cobertura mostrarem uma determinada área de cobertura para um satélite, esta área de cobertura pode não representar fielmente a real cobertura de um satélite pois o sinal pode ser influenciado por outros fatores alheios ao controle da operadora do satélite.

Sinais de alta e baixa frequência transmitidos pelo satélite também sofrem influências diferentes entre o satélite que os transmitiram e os locais de recepção em terra.

Sinais de baixa freqüência:

– podem se espalhar por uma maior área de cobertura (maior visada para um determinado satélite).
– tem menor potência de energia
– necessitam de antenas com diâmetro maior
– sofrem menor interferência das nuvens

Sinais de alta frequência:
– Precisam de uma linha de visão mais direta entre o satélite e a antena parabólica
– tem maior potência de energia
– se disperça mais facilmente em situações de chuva severas
– necessitam de antenas parabólicas com diâmetro menor

Mapas de cobertura de alguns dos principais satélites em órbita da América do Sul:

– SES 6: http://www.ses.com/4628404/ses-6
– Intelsat 11: http://www.lyngsat-maps.com/maps/intel11_ameur.html
– Amazonas 2/3: http://www.hispasat.com/en/satellite-fleet/amazonas-2
– StarOne C2: http://www.starone.com.br/en/internas/biblioteca/downloads/Embratel_Star_One_C2.zip


mapa-de-coberrtura-satelite-footprint