Futebol direto do Satélite – Feeds para Trade Esportivo

503

Devido a atual situação no mundo onde muita gente perdeu a sua fonte de renda e esteve (está) ficando em casa por um período de tempo muito longo, todos estão a procura de uma fonte de renda que possa ser executada de casa. Digo todos pois até quem conservou totalmente ou parcialmente a sua renda está tendo ideia parecida com esta que comentaremos agora.

A ideia é fazer o tal do trade. E olha que nem é uma ideia que se possa chamar de original, basta abrir um vídeo no Youtube ou mesmo fazer uma pesquisa em buscador da internet, navegar por um site, rede social… que você logo é bombardeado com as promessas de “aprender a ganhar dinheiro de casa através do método de trade…”

Antes de todo esse confinamento de 2020 eu já recebia muitas perguntas sobre a captação de feeds de futebol direto do satélite com o intuito de se fazer o trade esportivo, depois do confinamento, então, os questionamentos são cada dia mais constantes.

Veja: mais matérias que publicamos sobre Captar Futebol direto do Satélite para Trade Esportivo.

Até mesmo pelo Telegram, onde criei um grupo para troca de informações sobre Trade Esportivo, para o pessoal que queria trocar dicas sobre o assunto, tem gente me descobrindo e me enviando mensagens questionando sobre o assunto.

Veja, por exemplo, o questionamento do Everton:

Então, Até onde pesquisei, a maioria esta no 55.5w (intelsat 34) em Banda C.

Queria saber se esses feeds estão abertos? ou tem alguma chave?

Comprei uma placa TBS DVB (mas não chegou ainda)

Eu consigo pegar por um receptor (Az America “da vida”)

Os questionamentos do Everton são basicamente o que todos querem saber aqui no Brasil, sobre os feeds de futebol nacionais.

Feeds de Futebol no Brasil

Antes de mais nada, esclarecendo para quem ainda não sabe o que é uma transmissão feed (alimentadora) no satélite, é basicamente a transmissão que é feita do local onde está ocorrendo o evento direto para a emissora responsável pela transmissão do evento, ou para as operadoras de tv via satélite captarem… Enfim, são transmissões ainda não destinadas ao espectador final do evento, ou seja, todos nós.

Para que você entenda mais fácil a necessidade de um feed é o mesmo tipo de transmissão que ocorre entre um repórter que está em algum canto e um telejornal ao vivo, em que o apresentado anuncia que falará com fulano: “via satélite”.

E qual é a necessidade do tal Feed para eventos esportivos? São muitos os usos, desde a edição final de imagens do evento para então enviar para as operadoras de tv/espectadores, até a inserção de comerciais, etc.

Acontece que, para o pessoal do trade esportivo, assistir os eventos captando uma operadora de tv paga ou a pós edição da emissora, é um martírio, pois, são muitos segundos, quem sabe até um minutos, entre o que aconteceu no campo e a imagem chegando na casa do trader esportivo. Cada segundo ganho entre o campo de futebol e estar vendo o ocorrido pela televisão, significa ganhar ou perder dinheiro.

Como o Everton já adiantou, o Intelsat 34 está sendo bastante usado para feeds de futebol pelas emissoras nacionais. No entanto a má notícia é que as jogos de futebol não costumam ser transmitidos de forma aberta, através dos feeds, aqui no Brasil. Tanto aquela grande emissora aberta que ainda detém a transmissão de grande parte dos jogos importantes no país, quanto emissoras de tv paga, costumam criptografar os feeds por onde transmitem seus jogos de futebol.

Dessa feita resta a esperança para o pessoal dos feeds em conseguir encontrar as chaves de transmissão que abrem o sinal desses feeds. Eu não digo que seja impossível de se conseguir estas chaves atualmente, mas com certeza é quase impossível. O motivo é bem simples, como se trata de uma transmissão destinada a poucos receptores, são poucos os que tem o meio de abrir esta transmissão através das chaves oficiais do emissor do evento, seja via cartão ou mesmo via transmissão online ou via satélite das tais chaves.

Ora, se há poucos que tem isso de forma oficial também são poucas as chances de cair na mão de alguém que consiga fazer a engenharia reversa e obter estas chaves da maneira “mais fácil”. Que na verdade não é nada fácil, dado que a tecnologia de encriptação usada pelas emissoras está mais (bem mais) complexa que há alguns anos quando era possível se obter chaves de transmissão através de fóruns sobre tv via satélite.

A outra forma de se obter essas chaves seria através de grupos que se unem para rodar um aplicativo especial que tenta quebrar a tal chave de criptografia. Atualmente esse tipo de método para tentar abrir transmissões com boa criptografia, como no caso dos feeds de futebol nacionais, é mais complicado que ganhar um milhão de dólares no seu primeiro mês no trade esportivo. É tão complicado, difícil e caro essa empreitada que eu, atualmente, não conheço nenhum grupo que esteja se unindo com esse propósito, como antigamente haviam e também eram fáceis de serem encontrados nos melhores fóruns de tv via satélite.

Por fim, pegando carona no resposta acima e por motivo semelhante, é que não adianta você ter um aparelho do tipo Azamérica e similares, na esperança de que esses aparelhos irão abrir para você os feeds esportivos. Os aparelhos em si não tem a capacidade de, sozinhos, abrirem canais fechados, eles necessitam que a marca que os produziu se proponha a descobrir as chaves de criptografia das transmissões que a marca se propõe a abrir (que na sua maioria são canais vindos das operadoras de tv).

As marcas desse tipo de receptor de tv via satélite sempre escolhem as transmissões às quais há um grande público de potenciais compradores de seus receptores interessado em assistir. Feeds de futebol, infelizmente, para quem os quer ver, tem um público muito ínfimo quando comparado ao público de toda a programação de uma operadora de tv paga. Simples assim, as marcas não se interessam por abrir esse tipo de transmissão, a não ser que esteja tão fácil de ser feito que elas vão usar isso só para fazer propaganda… mas não é o caso aqui.

Por fim, um alento, isso tudo não quer dizer que eventualmente possa acontecer uma transmissão de jogo esportivo de forma aberta através de um feed. Isso pode ocorrer por um problema técnico que impeça a criptografia ou por uma liberalidade da operadora ou do detentor dos direitos de transmissão daquele jogo. O problema é que não temos como prever essas aberturas.

Desta feita a melhor maneira é descobrir um grupo unido de pessoas com o mesmo interesse e que se comuniquem através de fóruns ou aplicativos de troca de mensagens, como é o caso do grupo Feeds de Futebol no Telegram. O problema que tenho visto no grupo do Telegram é que a galera não adere muito à ideia…

A outra opção é tentar os feeds internacionais abertos que, em sua maioria, estão em satélites que teoricamente não são captáveis no Brasil, mas que na prática, se a pessoa tiver muita paciência e uma boa capacidade de investir a fundo perdido, pode comprar uma antena de dimensões bastante avantajadas, tipo, 5 metros de diâmetro, colocar essa antena em uma torre ou local um pouco mais alto e apontar para o leste (nascer do sol), a fim de tentar captar transmissões vindas da Europa/África/Ásia.

Sim, apesar de não ser a coisa mais fácil do mundo e não ter garantia, algumas pessoas até conseguem captar alguns satélites mais distantes… Não custa tentar não é mesmo? Ops, quer dizer, custa sim uma graninha boa de investimento para se obter um talvez sim, talvez não.

Se houvesse um grupo de traders esportivos bem unido, quem sabe eles conseguiriam fazer uma vakinha para fazer um teste do tipo, não é mesmo?

Entra pro nosso canal no Telegram clicando aqui, clica agora aí vai!

.