Foguete russo destrói mais um satÉlite no lançamento

727

Avalie este artigo [starrater tpl=10]
A marÉ não está nada boa para os foguetes russos Proton M, muito utilizados para enviar satÉlites e cargas para a órbita espacial, o foguete É o que tem a capacidade de enviar as cargas mais pesadas ao espaço.

Mas nem esta especialidade do Proton M deve ser capaz de salvar os contratos de lançamento que o foguete tem com as empresas da Asia, Europa e principalmente, dos Estados Unidos.

Em julho do ano passado o Proton M já havia caÁ­do no lançamento do satÉlite Intelsat 27, satÉlite que seria usada pela operadora GVT TV, no Brasil. Poucos dias depois o Proton M explodiu no lançamento destruindo três satÉlites Glonass, que fariam parte da constelação de satÉlites do sistema de GPS russo.

Agora, pouco menos de um ano depois dos acidentes, o Proton M explodiu no lançamento, a 150 Km de altitude, destruindo o satÉlite mais avançado já construÁ­do pela russia, satÉlite este que acabou levando consigo o orgulho da população russa.

O Proton M destruiu o satÉlite Express AMR4, que seria usado para dar acesso Á  internet banda larga em regiões remotas da russa, que no momento estão sem nenhum tipo de conexão Á  internet, O Express AMR4 estava equipado com as mais novas e avançadas tecnologias de trasmissão e recepção de dados e disponbilizaria acesso Á  internet a preços baixos para a população russa.

Com a explosão do Proton M e Express AMR4, não há previsão de quando será construÁ­do e lançado um novo satÉlite para fazer a função do satÉlite destruÁ­do, o que deixou o governo russo em uma saia justa tanto com a sua população quanto com a sua parceria com a agência espacial norte americana.

Os russos já haviam anunciado que não irão desativar a Estação Espacial Internacional, depois que as suas relações diplomáticas com os Estados Unidos foram abaladas ao invadirem a UcrÁ¢nia.

O fim da parceria deixaria os Estados Unidos com problemas para manter o Estação Espacial, já que os Estados Unidos não tem construÁ­do foguetes para lançar as grandes cargas necessárias Á  manutenção da estação, e o Proton M era a carta na manga que os russos tinham para pressionar os americanos.

Era, pois a manutenção do Proton M É muito dependente de empresas norte americanas que contratam o Protom M para lançar cargas ao espaço, com os constantes acidentes com o foguete, estas empresas já estão procurando novos parceiros para o lançamento de cargas Á  órbita terrestre.

E os russos podem sofrer um grande abalo em sua missão espacial e não ter mais nenhum trunfo para as suas relações diplomáticas com os americanos.

Confira abaixo o vÁ­deo do lançamento do Proton M.


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here