Servidores IPTV ameaçados

1042

Todo dia uma história nova contra algum servidor IPTV, essa semana realmente está quem para quem resolveu viver desta atividade na Europa, que ainda É um grande centro fornecedor de pacotes de canais IPTV para todo o mundo mas que, com o trabalho incessante contra a atividade no continente, está vendo os chineses herdarem os órfãos deste mercado rapidamente.

Desta vez a foi a agência antipirataria da Holanda (Breta) quem fez uma ação diferente contra a revenda IPTV. Eles já conseguiram fechar diversos sites no paÁ­s, mas tambÉm já tropeçaram em algumas tentativas infrutÁ­feras. As agências antipirataria holandesa tambÉm trabalham em consideração com instituições semelhantes em todo o mundo juridicamente alinhado (o que exluia a China e outros poucos paÁ­ses que você consegue adivinhar sem muito esforço).

Pois bem, no ano passado os holandeses levaram ao tribunal um homem que foi condenado a pagar uma multa de 40 mil euros, alÉm de ter sido proibido de se envolver com qualquer atividade futura de venda ilegal de acesso a canais da tv por assinatura. A condenação, obviamente o obrigava a cessar de imediato o serviço IPTV que mantinha e os meios de vender acesso a este serviço. O homem tambÉm revendia decodificadores prÉ-configurados para o IPTV, os quais foram apreendidos pela justiça.

Tudo levava a crer que ele tinha entendido bem a sua sentença e que iria cumprir a determinação judicial, mas não foi bem assim que as coisas correram. Posteriormente foram detectados mais dois sites de revenda IPTV que pertenceriam ao então condenado e que, mesmo após a sentença, não cessaram as atividades comerciais indevidas.

De volta ao tribunal agora a coisa ficou um pouco mais complicada, alÉm de si mesmo o rÉu agora havia convencido a namorada a manter um serviço de revenda IPTV em seu próprio nome, para reforçar as finanças do casal. AlÉm disso, tambÉm haviam contas do Paypal relacionadas aos dois envolvidos, que estavam sendo usadas para o recebimento de pagamentos do IPTV ilegal. Para aumentar ainda mais o comprometimento da dupla, a namorada do acusado mantinha um vÁ­deo no Youtube para divulgar a venda dos pacotes IPTV, onde constava um endereço de e-mail para contato que pertencia ao condenado e pelo qual ele respondia aos pedidos de assinatura dos serviços de IPTV.

A atividade toda estava muito bem documentada e as evidências foram apresentadas no tribunal, pela mesma agência antipirataria. AlÉm de descumprir a sentença anterior o condenado ainda fez o negócio frutificar, não bastasse ser um, agora eram dois servidores IPTV em que ele estava envolvido.

Para ter certeza que desta vez o homem iria entender a condenação, a nova sentença estipulou que caberia a ele, de imediato, as custas do processo no valor de 7,4 mil euros. AlÉm disso ele deve cessar de imediato a venda de acesso aos servidores IPTV mantidos pela dupla sob pena de multa diária de 10 mil euros atÉ um limite de meio milhão de euros de multa. Mas espere, ainda restou um fio de esperança ao casal, se ele conseguir provar a inocência a sentença será anulada.

Pelo menos por enquanto ainda não se falou em prisão para ele.

12 meses de prisão para servidor IPTV de jogos de futebol

Enquanto os holandeses estão sendo um pouco mais amenos nas suas sentenças contra a pirataria da tv por assinatura, tem outros paÁ­ses que não estão alisando nem um pouco a atividade, principalmente se ela envolve a pirataria de canais premium de jogos de futebol. Os canais de futebol na Europa são atrelados Á s ligas que organizam os eventos e estas ligas se envolvem de forma bastante acirrada no combate Á  pirataria do televisionamento dos seus eventos.

Veja só o que ocorreu na França.

A ALPA, Association of lutte con la piraterie audiovisuelle, que desde 1985 tenta acabar com a pirataria da tv por assinatura naquele paÁ­s (será que um dia terá sucesso?), havia conseguido em 2018 fechar um grupo de 20 sites que retransmitiam os eventos esportivos premium daquele paÁ­s.

Os sites, em conjunto, contavam 500 milhões de acessos quando foram encerrados, os sites se monetizavam atravÉs de anÁºncios intrusivos e pela abertura de janelas para diferentes plataformas, como É comum nesse tipo de site.

Os conteÁºdos gerados pelo Canal + e pela beIN Sports eram os que estavam sendo pirateados atravÉs destes portais de streaming IPTV direto.

Algumas pessoas foram presas naquele ano e responderam por prestar atividades remuneradas para estes sites, mas a pessoa que foi considerada a cabeça da operação de todos estes sites não foi encontrada na Época. Pois É, não foi encontrada em 2018 mas a polÁ­cia francesa não esqueceu do cidadão, esta semana ele foi encontrado e como já havia sido condenado Á  revelia, vai curtir 12 meses de prisão.

E pode apostar que no momento em que vos escrevo esta matÉria outras operações contra o IPTV estão sendo realizadas no mundo ocidental, Enquanto isto na China…

Leia tambÉm: O Servidor IPTV da PolÁ­cia