Provedor IPTV Pirata perde uma Range Rover e um Audi A5 para a polÁ­cia

951

A coisa não está nada boa para os provedores de tv pirata no mundo, lembra que recentemente publicamos que a polÁ­cia tomou posse de um servidor IPTV e começou a transmitir uma mensagem para os usuários daquele provedor, atravÉs do serviço ilegal que estes assinaram?

Leia: O Servidor IPTV da PolÁ­cia

Pois É, a coisa não tá mole não lá pras bandas do Reino Unido, alÉm reivindicar que derrubaram cerca de 2 milhões de usuários de serviços IPTV no Áºltimo mês, agora a polÁ­cia do Reino Unido resolveu ir alÉm da simples apreensão dos equipamentos relacionados ao serviço de IPTV, ela está indo nos bens de luxo comprados pelos donos destes servidores IPTV e lhes imputando mais crimes que simplesmente os relacionados aos direitos autorais.

Nesta Áºltima operação divulgada, houveram três detenções e apreensões diversas, incluindo carros de luxo.

No final de junho, a polÁ­cia revistou uma casa na cidade de Lytham St Annes e prendeu um homem de 28 anos, acusado de vender serviços piratas e dispositivos de transmissão ilegal. No ataque, a polÁ­cia apreendeu um Range Rover Sport SVR V8 e um Audi A5 conversÁ­vel, alÉm de roupas e acessórios de grife, segundo o site Torrent Freak . É isso mesmo, atÉ as roupas de grife dos envolvidos no esquema foram levadas.

Após a prisão, o Serviço de PolÁ­cia da Irlanda do Norte acusou mais duas pessoas, citando “uma fraude substancial online que envolve a venda de assinaturas ilegais para canais de TV e emissoras”.

“Um homem de 34 anos e uma mulher de 30 anos foram acusados “‹”‹de uma sÉrie de crimes, incluindo fabricação ou fornecimento de artigos para uso em fraudes, posse de artigos que violam direitos autorais, uso não autorizado de uma marca comercial e ocultação de propriedade criminal. Ambos devem aparecer no tribunal de Magherafelt em 15 de julho de 2020.”, disse um porta-voz da polÁ­cia.

O site Torrent Freak observa que, embora o foco desses casos tenda a ser a violação de direitos autorais, a fraude e a lavagem de dinheiro são ofensas adicionais levantadas de forma consistente. Essas acusações podem levar a sentenças mais pesadas, alÉm de propriedades apreendidas.

Me chamou bastante a atenção, tambÉm, ao fato de que a polÁ­cia considerou que os equipamentos fÁ­sicos em funcionamento do servidor IPTV, em si, por se tratar de atividade ilegal de ser registrada como uma empresa convencional, foi considerado local de ocultação de propriedade criminal. Mais uma maneira que a polÁ­cia encontrou para piorar a situação jurÁ­dica das pessoas presas nesta operação e possivelmente nas operações futuras.

A polÁ­cia da Europa tem agido em parceria com a dos Estados Unidos em algumas operações em ambos continentes, assim como a polÁ­cia do Brasil já agiu em parceria com os europeus.