TELEFÔNICA CORTA PATROCÍNIO DO REAL MADRID, BARCELONA E SELEÇÃO ESPANHOLA PARA INVESTIR EM CONTEÚDOS MAIS RELEVANTES

434

A coisa não está nada boa para a Telefônica – controladora da Vivo aqui no Brasil – e para diversas outras operadoras de tv por assinatura atuantes na Europa – e também controladoras de operadoras no Brasil. Em especial para a Telefônica as ações da operadora estão despencando na bolsa de valores e alcançaram a mínima histórica, o motivo é o desinteresse dos assinantes pelo meio tradicional da tv por assinatura, a cada dia mais pessoas estão cancelando com as operadoras de tv na Europa ou migrando para planos menos dispendiosos.

A situação é grave e acaba de escancarar outro calcanhar de Aquiles da oferta de conteúdo até então priorizada pelas operadoras de tv paga e que, supostamente, por conta delas, girava a máquina produtora de bilhões de dólares dos clubes de futebol europeus, em especial dos clubes espanhóis Real Madrid e Barcelona.

A Telefônica vinha mantendo contrato de patrocínio com os grandes clubes espanhóis nos últimos anos, bem como com a seleção espanhola. Para o Real Madrid o contrato previa algo em torno de 20 milhões de euros por ano. O valor para o Barcelona não foi explicitado, mas prévia mais que para os brancos e ainda havia uma parceria com o clube em ações aqui na América Latina.

Diante da queda no valor da empresa, pressionada pela perda acentuada de interesse pelos assinantes da tv paga, a Telefônica entendeu ser melhor cortar os contratos de patrocínio com estes grandes clubes que até então entediasse que faziam parte de um conteúdo relevante para a operadora, alegando que irá usar os valores até então voltados para os clubes para investir em conteúdo mais relevante ao seu consumidor.

    COLOQUE seu nome e e-mail abaixo para receber nossas notícias. +100 MIL PESSOAS já cadastradas!!!
    CHEQUE AGORA SUA CAIXA DE ENTRADA para ativar a inscrição no e-mail de confirmação que foi enviado para você

A Telefônica também deixou bem claro que agora passará a focar esforços (e recursos financeiros) em produção de conteúdo próprio e compra de “novos conteúdos” que sejam mais importantes que o patrocínio esportivo.

Veremos aí um foco maior em produção de séries e reality shows em detrimento da venda de conteúdo esportivo?

A mesma política de corte de patrocínio para eventos esportivos será seguida pela Vivo aqui no Brasil?

SIM, NÓS TEMOS TELEGRAM E SE VOCÊ TEM TAMBÉM CLICA LOGO NO LINK AÍ E CONHECE O NOSSO: https://t.me/gpspezquizaoficial