Sky tentou dar balão no governo e se ferrou

694

Avalie este artigo [starrater tpl=10]
A maré não está boa para o lado da Sky, desde que a operadora resolveu comprar uma briga com o governo por conta dos canais obrigatórios.

Para quem não se lembra, a Sky fez campanha contra o governo e incitou seus assinantes contra a decisão dos canais obrigatórios, e conseguiu somente ganhar fortes desafetos na administração federal.

Então, agora nada que a operadora tenta fazer passa desapercebido pelo crivo governamental.

A dor de cabeça da Sky agora é o canal Sports+, que antes era Sky Sports e por força da Lei da TV Paga, Lei 12.485/2011, que proíbe as prestadoras de serviços de telecomunicações de atuar na atividade geração de programação, teria de ter sido excluído completamente pela operadora.

Mas a Sky não acabou com o canal Sky Sports, muito pelo contrário, usou um artifício para burlar a legislação brasileira, segundo a Ancine.

A Ancine acusa a Sky de ter criado uma empresa programadora no Uruguai, a Time Out S.A., com o único intuito de viabilizar o canal Sports+ e comercializar a programação do canal exclusivamente para a Sky.

Outro forte indício da fraude, levantado pela Ancine, é que o faturamente da Time Out S.A., que provém exclusivamente venda da programação do canal de esportes Sports+ para a Sky Brasil Serviços Ltda., é retido em favor da operadora.

A Sky já foi autuada pela Ancine por conta da irregularidade, e o canal Sports+ corre um sério risco de ser finalizado pelo órgão governamental.

sky sports