Operadoras deveriam responder assim quando questionadas sobre preço:

1221

Enquanto as operadoras de tv por assinatura e outros meios de telecomunicações só tentam descontar no lombo do cliente os problemas que tem com o excesso de impostos que são anexados à mensalidade que cobram de seus assinantes, tem empresa dando exemplo de como responder a um cliente que só consegue ver o preço do produto que está sendo oferecido e não pensa em quanto é dispendioso fazer aquele produto chegar até o consumidor.

Não estou aqui defendendo que o preço cobrado pelas operadoras de tv é justo, até por que eu não tenho acesso à planilha de custos de nenhuma delas, mas quero compartilhar com os nossos leitores uma história interessante é que reflete bem a situação que também é vivida aqui no Brasil por todas as empresas que precisam sobreviver em mercados onde o custo da operação não é barato e ainda por cima vem os impostos abusivos para atrapalhar mais ainda.

Leiam e reflitam um pouco que além de cobrarmos preço menor das empresas, também temos que pressionar o governo a cobrar impostos mais justos e assim por diante:

Uma consumidora em Nova York ficou transtornada com o valor cobrado por uma cafeteria da cidade por servir uma água quente com uma rodela de limão, e resolveu escrever toda a sua indignação no site TripAdvisor, que coleciona as opiniões de seus leitores sobre locais para se viajar e os estabelecimentos que existem nas cidades.


A consumidora se chama Hannah C. e o estabelecimento reclamado foi o Bennett Café e Bistrô. Ela escreveu em seu review sobre o local:

“Este lugar é absolutamente horrível. Fui ali para tomar um chá da tarde com alguns amigos, e estava com pouco dinheiro. Pedi então água quente com uma rodela de limão. Em primeiro lugar, a água não chegou junto com o bolo e a bebida dos meus amigos. Depois, me cobraram 3 dólares (cerca de R$ 12) pela água quente e por uma fina rodela de limão. Quando eu perguntei porque estava sendo cobrada uma quantia tão alta por um pouco de água, o garçom disse, rudemente: ‘bom, você sabe quando custa um limão?’. Sim, e definitivamente não é três dólares. Depois, ele me informou, erroneamente, que um bule de chá para uma pessoa (que foi o que me cobraram) custa o mesmo preço que um limão. Para demonstrar o quão ridículo isso era, meu amigo pediu um doce de chocolate, que custava 2,70 dólares. Lugar horrível, sem dúvida não o recomendo, e o garçom rude que me atendeu deveria ser despedido. Não voltarei, e aconselharei meus amigos e familiares a não irem lá”.

O dono do local resolveu responder ao review da cliente insatisfeita de uma maneira que não resta duvida sobre o por que no preço de um produto não se pode considerar apenas o produto em si, veja:

“Lamento que você tenha se sentido explorada, e vou te explicar porque não deveria ser assim. Você entrou no café, e o garçom mostrou onde você deveria se sentar, entregou um cardápio, esperou para anotar o seu pedido… Foi no caixa, pegou uma xícara, um prato e uma colher, e os levou à cozinha. Lá, ele pegou uma faca, uma tábua e um limão. Cortou um pedaço e colocou na xícara. Depois, voltou ao salão, pegou a água quente e levou a xícara à sua mesa. Quando você ia embora, ele imprimiu sua conta, levou até você, processou seu pagamento com cartão de crédito e fez a cobrança fora do caixa. Depois que você foi embora, ele pegou a xícara, o prato e a colher, levou até a cozinha, lavou, secou – junto com a tábua e com a faca – e guardou o limão. Depois, ele voltou ao salão para arrumar a xícara, o prato e a colher, limpou sua mesa e deixou o cardápio ali, a espera do próximo cliente, Isso toma, pelo menos, de 2 a 3 minutos de trabalho do garçom. O custo dos gastos gerais da empresa, quero dizer, o aluguel, as taxas do negócio, os custos de eletricidade, os gastos bancários, entre outros, giram em torno de 38,25 dólares por hora. Eu pago aos meu colegas um salário digno e decente, levando em conta o pagamento de férias, seguro, e o tempo produtivo antes de abertura e depois do fechamento do bistrô. O garçom que lhe serviu me custa 18,75 dólares por hora. Portanto, em conjunto, o custo é de 57 dólares por hora, o que significa que o custo de proporcionar o serviço de 2 a 3 minutos seria entre 1,90 a 2,85 dólares. Então, o governo ainda acrescenta 20% de impostos, o que faz com que a xícara com água e limão, custe entre 2,28 e 3,42 dólares. Tenho que pagar os meus fornecedores, caso contrário as instalações não estarão disponíveis para outras pessoas no futuro. Concordo que tudo faz com que o preço de uma xícara de chá no centro da cidade seja caro, comparado ao que você faz em casa, mas por desgraça, essa é a cruel realidade da vida. Na verdade, são as instalações que custam dinheiro, muito mais do que os ingredientes. Talvez, a má educação que você percebeu em mim foi provocada pela falta de respeito que eu percebi em você por presumir que poderia usar nossas instalações e ser atendida gratuitamente”.

Fica aí uma grande aula de economia para todos nós, com a diferença que aqui no Brasil se paga imposto em cascata, mas dá bem para entender por que não existe café de graça.

Quanto às operadoras, elas também deveriam esclarecer aos seus clientes qual é o custo de se trabalhar com tv paga e quanto o governo está abocanhando do que é cobrado do assinante.