VOCÊ PODE! Converter seu carro atual em elétrico por R$ 25 mil, em breve

75

Com certeza se falarmos atualmente em fazer a conversão do seu carro atual em carro elétrico, a primeira coisa que viria na cabeça seria uma gambiarra feita com um kit para conversão de carro elétrico à venda no Aliexpress (sim, eles existem). Mas é de coisa bem mais profissional o que estamos trando aqui.

Uma parceria entre o IFSC (Instituto Federal de Santa Catarina), a Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina), a Aneel (Agência Nacional da Energia Elétrica) e a Embrapii (Empresa Brasileira de Energia e Inovação industrial) foi formada com a intenção de disponibilizar para o mercado um kit para converter um carro popular comum em elétrico (na verdade híbrido), por um valor aproximado de R$ 25 mil.

A previsão é de que será possível converter um híbrido elétrico um Renault Kwid por esse valor de R$ 25 mil. Como atualmente o pequeno popular da Renault, se adquirido zero quilometro, está sendo vendido por cerca de R$ 60 mil; isto equivale a dizer que se poderia ter um Kwid elétrico por R$ 85 mil, valor que é bem inferior aos R$ 146.900,00 (o preço foi atualizado pela Renault) que é o preço oficial do Kwid totalmente elétrico de fábrica.

Ok, vamos esclarecer que confusão é essa de híbrido elétrico ou puramente elétrico.

É o seguinte, o Renault Kwid elétrico de fábrica é um carro que foi desenvolvido para funcionar, em todos os seus sistemas, sem a necessidade de apoio de motor a combustão não somente para o tracionamento do veículo, como para outros sistemas como o de frenagem que nos carros a combustão atuais depende de pressão gerada pelo motor.

Já no kit de conversão que será ofertado pelo pool de empresas citadas acima, o motor à combustão continuará no veículo e deverá continuar a funcionar para o tracionamento das rodas dianteiras do carro bem como para outros sistemas vitais necessários ao bom funcionamento do Kwid (ou outro modelo de carro) convertido. A diferença será que o kit para carro elétrico será instalado nas rodas traseiras do veículo, que saem de fábrica com o giro livre, como na maioria dos modelos vendidos em nosso país.

O funcionamento do híbrido-elétrico convertido será bem simples, haverá um sistema que vai detectar a troca de marchas pelo motorista ou a colocação do carro em ponto morto. Se o veículo rodar engatado em alguma marcha, o tracionamento irá respeitar o motor à combustão, ou seja, ele será tracionado pelas rodas dianteiras movidas pelo motor à combustão. Se o motorista quiser rodar com tracionamento elétrico, bastará que ele coloque o carro em ponto morto e aí se ativará os motores elétricos nas rodas traseiras, passando o motor a combustão para um funcionamento somente de apoio aos sistemas do carro que dependam dele.

Onde tanto o veículo elétrico de fábrica e o híbrido-elétrico convertido se encontram é que ambos poderão ser recarregados na tomada, como um carro elétrico comum.

Interesante não é mesmo, já que o preço dos combustíveis não dá nenhum sinal de que irá retornar aos níveis mais aceitáveis de antigamente; muito pelo contrário.

E esse funcionamento híbrido-elétrico não será novidade, no Brasil, do kit para conversão a ser lançado pela iniciativa destas empresas. Em breve a Chery lançará um modelo do SUV Tigo com um sistema bastante similar ao do funcionamento proposto pelo kit de conversão. No caso do Tigo, a autonomia para rodar no modo elétrico será de 80 Km.

A Chery no entanto ainda não divulgou qual será o valor de venda do seu híbrido-elétrico.

Por fim, uma informação importante é que em média os carros elétricos de menor porte, como é o caso do Kwid elétrico de fábrica, rodam entre 9Km e 11 Km por cada KWh usado para o carregamento das suas baterias, o que aqui no estado de Goiás representa aproximadamente R$ 0,10 por Km rodado, custo válido para este mês de junho de 2022.

Compartilhe esta matéria e continue no GPS.Pezquiza.com