GLOBO anuncia que VAI PRIORIZAR IPTV e VIDEO ON DEMAND

2479

Num anÁºncio para o mercado de que vai descontinuar um dos seus sites de fofocas sobre celebridades, a Globo deu uma informação muito mais importante para o mercado, ela vai colocar todo o seu investimento em plataformas digitais nos seus projetos que contemplam IPTV e Video on Demand, mais precisamente no Globo Play, G1, GShow e Globo Esporte.

Gravei um vÁ­deo para o canal GPSPezquizaOficial sobre este assunto e você pode assistir a este vÁ­deo nesta página rolando-a mais para baixo.

A estratÉgia tem um bom motivo, a Globo já se tocou que os espectadores estão migrando cada vez mais rápido para os conteÁºdos em vÁ­deo na internet e que tem que produzir cada vez mais conteÁºdo em vÁ­deo que seja exclusivo para as suas plataformas online.

Mais ainda, que há um grande pÁºblico para vÁ­deos de conteÁºdo vazio, que É o mesmo tipo de conteÁºdo que a Globo publicava em texto no site Ego.

O Ego era um site que publicava notÁ­cias que não tinham nada a informar, coisas do tipo:

Caetano Veloso estacionou seu carro na Barra hoje pela manhã.

Carla Perez gosta de tênis rosa

E outras tantas notÁ­cias assim sem sentido que tem um pÁºblico enorme para consumir.

O que era conteÁºdo para o Ego a Globo promete incorporar no site GShow, e não será nenhuma novidade se mais e mais vÁ­deos com este tipo de “notÁ­cias” aparecer no GShow.

Tem um tempo que a Globo nçai divulga quantos assinantes já tem na plataforma GShow, mas não É nenhuma surpresa se o nÁºmero estiver chegando a 10 milhões, o que indica que o espectador final concorda em pagar para assistir ao conteÁºdo da Globo.

Ciente disto a Globo tem disponibilizado cada vez mais conteÁºdos no Globo Play antes de eles serem mostrados na programação da emissora aberta.

As plataformas GShow, G1 e Globoesporte estão recheadas de conteÁºdo em vÁ­deo que são exclusivos, ou seja, não são e nem serão mostrados na emissora aberta.

A Globo deve investir mais e mais em publicitar estes conteÁºdos para rivalizar com plataformas de vÁ­deo como o Youtube.

Será que a emissora vai dominar o conteÁºdo em vÁ­deo online?