Globo perde poderosas celebridades e poder no futebol

1458

Apesar de estar latindo, mordendo e arrancando pedaços do governo federal, o Grupo Globo continua a ter dificuldades de manter seus produtos intactos de uma crise à qual ela mesma está fazendo questão de alimentar com cada vez mais e mais ração.

A emissora enfrenta sim, muitas dificuldades para equalizar os valores que entram e os que saem, desta maneira só lhe resta fazer o que a maioria das empresas brasileiras que vivem no limite de seus caixas está fazendo no momento… Demitir ou incentivar que se demitam.

Segundo a imprensa especializada no mundo dos deuses do Olimpo artístico construído aqui no Brasil, algumas cabeças coroadas da Globo irão deixar a emissora, apesar da emissora negar: Seria os seguintes membros da nobreza cultuada por uma grande massa de fieis súditos aqui no Brasil:

– Susana Vieira,

– Cauã Reymond,

– Elizabeth Savalla,

– Antônio Calloni, e

– Fernanda Montenegro.

Recentemente a emissora também perdeu alguns nomes famosos e politicamente engajados como o próprio canal, até mesmo aquele que um dia cuspiu no rosto de uma mulher e em outro dia se auto intitulou presidente do Brasil, sendo amparado e glorificado pela emissora como uma vítima da sociedade brasileira, deixou a emissora recentemente.

E se os artistas que estavam no cabresto da Globo há décadas estão saindo sem que a emissora os possa vender como patrimônio, outro patrimônio de décadas da Globo, que ela também trata no cabresto e com mimos advindos do trabalho dos próprios encabrestados, parecem estar ganhando a chance de arrebentar as correntes enferrujadas que os prendem.

O presidente da república assinou medida provisória que dá exclusividade de direitos de transmissão da partida de futebol apenas para o time mandante da partida.

Na prática a medida tira o poder que a Globo tem de praticamente fazer os clubes brasileiros reféns da sua estrutura de promoção e transmissão dos principais eventos de futebol no Brasil. Aliado às novas tecnologias e possibilidades de monetização de diversos momentos antes, durante e depois de cada partida de futebol, a MP pode cavar um buraco financeiro na Globo mais rápido que o faria o tatuzão do metrô.

A medida vale por 60 dias prorrogáveis por mais 60 dias, mas para ser efetivada precisa passar pelo Congresso Nacional. Os clubes e suas torcidas organizadas devem ajudar os congressistas a votarem a favor, lembrando que estamos em ano de eleição e desagradar os eleitores não é boa estratégia nas suas bases eleitorais.

A Globo protesta e diz que “juristas” e “especialistas” desaprovam a MP.

Enquanto isto a Record está contratando a ex-global Carolina Ferraz para apresentar o Domingo Espetacular… A atriz tem experiência como apresentadora, tendo, entre outros, apresentado o Fantástico em tempos passados.

Entra pro nosso canal no Telegram clicando aqui, clica agora aí vai!

.