NÃO INSTALE NENHUM APLICATIVO NO SEU SMARTPHONE – ME PERGUNTE O POR QUE

815

Para quem pensa que está tranquilo ao usar o smartphone, desde para atividades simples quanto para atividades mais comprometedores (tirar uma foto de uma flor ou tirar de um nude), é melhor pensar de novo sobre o assunto. Um estudo realizado por profissionais de segurança chegou à dedução que cerca de 40% dos aplicativos disponíveis para Android e para iOS são facilmente hackeáveis, possibilitando que os aparelhos possam ser invadidos por cibercriminosos.

Neste momento é provável que o seu celular esteja, pela internet, de portas abertas para que um malandro visual dê uma espiadinha nas atividades que você realiza através dele e até mesmo o que ocorre na rede em que ele está conectado.

Os apps são inocentes e isto é perigoso

O grande perigo da situação reside no fato de que estes aplicativos não estão infectados com vírus e muito menos vão infectar diretamente o seu aparelho. Esses aplicativos para Android e iOS contém algum tipo de vulnerabilidade que pode ser explorada por hackers habilidosos que se aproveitarão para roubar dados do smartphone. Basta, por exemplo, o aplicativo permitir que o hacker roube os seus dados de usuário e senha, que a dor de cabeça pode ser imensa.

E de onde viria esse vulnerabilidade dos aplicativos para smartphones? Dos desenvolvedores de aplicativos, é claro, pois verificar a segurança do usuário não é (ainda) uma prioridade para a maioria destes desenvolvedores, muitos nem sabem que este é uma necessidade ao desenvolverem seus apps para Android e iOS. No entanto as lojas de aplicativos oficiais também deixam a coisa passar batido e liberam os aplicativos para serem disponibilizadas, não é App Store e Google Play?

Por conta dessa facilidade e pressa de se colocar um app para uso público, dos aplicativos mais baixados em 2018 e que foram analisados pelos especialistas em segurança, na App Store 38% eram vulneráveis à ataques hackers enquanto no Google Play chegava a 43%.

Mas calma, a situação ainda não ficou feia de tudo, já que você não sabe que muitos dos aplicativos que você usa, onde existe alguma troca de dados entre o seu smartphone e um servidor, 73% destes servidores foram analisados como inseguros, colocando em riscos as informações e dados do usuário que forem neles armazenados, ou seja, neste caso o problema nem está no seu smartphone, basta que você se cadastre com um nome de usuário e senha nesses servidores que de cara, essa informação sensível, está vulnerável a ataques hackers e a partir daí qualquer dado que você trocar com esse servidor.

E os especialistas ainda alertaram para um fato que torna a “profissão” de hackear os dados das pessoas muito mais perigosa. Esses criminosos virtuais que passam dia e noite roubando dados e fraudando através da internet, trabalham no conforto do próprio lar e usam sistemas que fazem, automaticamente, grande parte do trabalho pesado, basta saber configurar, apertar um botão e monitorar o resultado do crime.

O que fazer para diminuir o risco?

A melhor estratégia que você pode adotar para diminuir o risco é diminuir o máximo possível o número de aplicativos instalados em seu smartphone, tenha somente o estritamente necessário. Sabe aquele dedo nervoso que gosta de instalar qualquer novidade que aparece pela frente? Controle-o.

Mais uma dica que pode parecer estranha mas tem sua razão de ser, é, não aceite carregadores de estranhos, de preferência use somente o carregador que veio junto com o seu aparelho. Conectar o seu smartphone em computador de estranhos então? Nem pensar.

Nem precisa comentar de não instalar aplicativos de lojas de aplicativos que não sejam as oficiais, não é? Se nas oficiais já está complicado, imagina nas alternativas…

Clicar naquele link estranho que vem no e-mail ou mensagem. Se inclua fora desta.

Root ou Jailbreak são ótimas portas abertas para o inimigo do alheio digital.

Por fim, o melhor mesmo é você se tornar um especialista em segurança digital… E olha que mesmo assim…

Entra pro nosso canal no Telegram clicando aqui, clica agora aí vai!

.