COMPRAR BITCOIN COM CARTÃO DE CRÉDITO EM CORRETORA INTERNACIONAL

501

O leitor Roberto enviou o seguinte e-mail aqui para o GPS.Pezquiza.com:

Oi Richard,

Meu nome é Roberto. Espero que já tenha se restabelecido daquele assalto terrível que vc sofreu na sua casa!

Tô pensando em investir uma sobra do 13o. em bitcoins. na verdade penso em dividir em BTC e ETH….​

Já li suas matérias, ótimas, mas reparei que o preço das moedas lá fora é mais barato que aqui. Muita diferença…

Pensei abrir uma carteira numa corretora gringa e comprar lá, via cartão de crédito e baixar a criptomoeda pra minha carteira, depois carregá-lo numa corretora local para trade. Arbitragem…

Isso é factível?

Pensei em minerar ETH ou BTG. Será q ainda vale a pena?

Do que li parece q grandes grupos vão dominar a mineração e não tem mais espaço para os pequenos, pelo menos no BTC.

Já para ETH ou BTG entendi q uma maquina comum, mas boa, poderia processar as rotinas de mineração.

Se puder comentar/orientar, agradeço,

Att,

Roberto

Obrigado por seu e-mail Roberto, então, na realidade ainda estou bem impactado por conta desta surpresa desagradável, mas como em tudo a gente tem que tirar um lado bom, ela mudou bastante a relação que eu tenho com o dinheiro e como usar o dinheiro que recebo pelo meu trabalho, isto tem me ajudado bastante a planejar melhor onde aplicar meus rendimentos para que eu possa realizar coisas que o ladrão não pode levar embora.

Vamos às suas perguntas.

Quando eu comecei a comprar Bitcoins há mais ou menos um ano eu também comecei a pesquisar por quanto a criptomoeda era vendida em diversos países do mundo e se havia a possibilidade de eu comprar diretamente destes países pois também notei que havia uma diferença de preço grande entre o Brasil e alguns outros países.

Vamos começar pela diferença simples do preço entre o real e o dólar americano. Hoje, 05 de novembro de 2017, veja a cotação de um Bitcoin em reais e em dólar:

– R$ 43.700,00 – Mercado Bitcoin
– US$ 11.691,00 – Poloniex

Fazendo-se uma conta simples percebe-se que neste caso cada dólar estaria cotado por R$ 3,74, sendo que a cotação do dólar turismo (o que é usado para este tipo de compra) hoje no Brasil é de R$ 3,36.

Há uma diferença aí de cerca de 10% a mais no valor que se paga neste momento por um Bitcoin no Brasil em relação ao mesmo preço que se paga nele em dólar, o que até considera que hoje está uma diferença pequena já que há dias em que ela chega a 20%.

A este valor maior que se paga pelo Bitcoin em reais frente a um valor menor pago em dólar pode se dar o nome de cotação do dólar/bitcoin, e este valor do dólar/bitcoin você encontra facilmente na página logada da corretora brasileira Foxbit, que neste momento informa um valor de R$ 3,63.

De qualquer maneira é mais alto o valor que o do dólar turismo.

A solução mais prática que nos vem à mente para tentar comprar o Bitcoin no exterior pagando o valor do dólar seria o uso do cartão de crédito.

Infelizmente o que a experiência tem me mostrado é que esta solução na realidade não soluciona o nosso problema, já que o que desejamos é pagar um valor menor pelo Bitcoin do que pagariamos em real aqui no Brasil.

    Deixe agora seu nome e e-mail para receber de graça nossas notícias. 94 MIL PESSOAS já recebem. APROVEITE!!!
    Você deixou seu nome e e-mail? Chegou um e-mail lá na sua Caixa de Entrada pedindo para você confirmar, FAÇA ISTO AGORA ok?

Acontece que no final das contas o que vamos pagar em dólar será convertido para reais na cotação do dólar turismo do dia em que formos pagar a fatura do cartão. Como vimos acima o valor do dólar turismo até nos beneficiaria mas há alguns agregados aí que não sabemos ao pensar em comprar o Bitcoin em sites internacionais pagando com o cartão de crédito.

Geralmente estes sites cobram um ágio pelo uso do cartão de crédito, repare bem na hora de comprar, vai aparecer para você algo do tipo:

– Cada 1 dólar paga com cartão de crédito vale 0,83 centavos de dólar.

Só nessa brincadeira aí você já perde um bom dinheiro, mas além disto ainda tem o tal do IOF de compras no exterior que é mais uma paulada de 6,38% que vem cobrado em uma taxa separada do valor da compra internacional que você fez.

E não é muito fácil se encontrar sites confiáveis que vendam Bitcoin aceitando cartão de crédito, isto por que há um grande problema com o cartão de crédito, ele é um tipo pagamento em que o pagador pode pedir o reembolso da compra, conhecido internacionalmente como chargeback, e os brasileiros são mal vistos no exterior por aplicarem muito o tal golpe do chargeback.

Este golpe consiste em fazer uma compra internacional e depois que o produto é enviado o comprador abrir uma reclamação na administradora do cartão de crédito e pedir o chargeback.

Por causo do mal hábito de alguns brasileiros a maioria de nós é mal vista no exterior ao tentar fazer uma compra via cartão de crédito, o que por vezes acaba elevando o valor que os vendedores cobram para nos vender o Bitcoin por meios que não sejam dinheiro versus dinheiro.

O que te aconselho é tomar bastante cuidado com os sites que aceitam te vender Bitcoins por cartão de crédito pois as taxas que você vai pagar por tal compra nem sempre estão às claras e você só vai descobrir que não foi um negócio tão bom assim quando já tiver finalizado a compra.

Tome cuidado também com plataformas de Forex onde é possível fazer trade de Bitcoin, tenho visto muitas pessoas entrando nestas plataformas achando que estão comprando Bitcoin quando na realidade não estão, as plataformas apenas estão usando a variação de valor do Bitcoin em tempo real para negociações de trade que ocorrem em dólar na realidade. Com isto você não tem como sacar Bitcoins destas plataformas simplesmente por que não existe nenhum Bitcoin na carteira delas, os saques são feitos em moeda fiduciária e somente para o mesmo meio de pagamento que você utilizou para enviar dinheiro para a plataforma.

Tenho visto muita gente se enganar com plataformas de Forex que dizem negociar Bitcoins.

Vamos então à questão da mineração de Bitcoin, Etherium, Bitcoin Gold entre outras.

Minerar criptomoedas em casa para se obter um retorno que compense o trabalho requer alguns gastos iniciais elevados além de algumas adaptações de ambiente para que tudo ocorra bem.

Tem que se levar em consideração muita coisa, até mesmo o fato de você ser ou não conhecedor de como dar manutenção no equipamento que será usado para minerar a criptomoeda que você irá escolher, os computadores tem uma montagem de hardware complexa, geralmente o hardware fica exposto ao ambiente para que resfriem melhor, eles consomem muita energia e é necessário ficar de olho no funcionamento do sistema e da internet pois a cada minuto que eles passarem parados são minutos a menos de rentabilidade.

Escolher qual criptomoeda minerar é uma tarefa que deve ser feita a cada dia pois a criptomoeda que é mais rentável hoje pode não ser a mais rentável amanhã, isto muda de acordo com a cotação da moeda, a quantidade de computadores minerando ela, a dificuldade de minerar e outros fatores.
,
Não podemos esquecer também que o equipamento que você tem para minerar conta muito, principalmente as placas de vídeo que você está usando para minerar.

Vou te indicar aqui dois sites que vão te ajudar bastante a calcular se compensa ou não minerar criptomoedas em casa:

– WhatToMine: http://whattomine.com/

Estude este site WhatToMine com muita calma pois você tem nele várias maneiras de calcular a rentabilidade de seu equipamento minerando diversas moedas, na página principal você pode colocar quantas placas de vídeo de diversos modelos você tem na sua máquina mineradora e o site vai te ajudar a calcular, mas coloque todos os fatores para que ele calcule a rentabilidade para você com valores mais exatos.

Repare as abas de cálculo que o site tem, não é apenas a primeira página do site que trás uma calculadora de rentabilidade de mineração, há uma aba interessante, a COINS, onde você pode escolher entre diversas moedas e fazer o cálculo em relação à moeda que você deseja minerar.

– NiceHash: https://www.nicehash.com/profitability-calculator

Já o NiceHash trás diversas configurações já montadas para você escolher a que mais se assemelha ao seu computador e então colocar o custo por Kwh da energia em sua região e basta clicar em calcular para saber se é lucrativo ou não minerar criptomoedas com o seu equipamento e com o valor da energia elétrica em sua região.

Bacana não é mesmo?

No meu caso eu acho que não compensa ter um equipamento para minerar em casa e prefiro contrar os serviços de uma mineradora no exterior, como eu disse estou contratando a HashFlare desde agosto passado e estou contente com o resultado.

De qualquer maneira por se tratar de renda variável e por os bitcoins que você deseja receber serem um ativo que você vai receber no dia a dia e só vai completar o total em um ano no futuro, há um grande risco envolvido.

Eu sempre aconselho entender de gestão de risco antes de fazer este tipo de investimento.

Veja a matéria em que eu falo sobre a Hashflare:

CLIQUE AQUI PARA VER AS MATÉRIAS QUE FIZ SOBRE A HASHFLARE