Hackers russos pirateando direto dos satélites

427

A Kaspersky, empresa de segurança de dados em sistemas de informática, revelou ao mercado uma bem elaborada rede de hackers russos, ligada ao governo russo, que pirateava satélites comerciais de telecomunicações para roubar dados de governos, empresas e cidadãos comuns em todo o mundo, e encobrir os rastros destes roubos.

E a partir daqui a história vai ficar muito parecida com a que muitos leitores do GPS.Pezquiza.com já conhecem de cor.

O grupo de hackers, conhecido como Turla APT, alugava casas dentro da área de cobertura de um satélite de telecomunicações mais antigo e que oferecesse conexões de internet ou dados através deste satélite.

Nesta casa eles instalavam antenas para conexão de dados via satélites, semelhantes às antenas usadas para tv por assinatura.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CANAL

Eles então usavam técnicas bastante avançadas para invadir um TP neste satélite e identificar computadores que estivessem transmitindo dados através deste TP e com vulnerabilidade de segurança.

Os hackers então invadiam este computador e passavam a acessar, através deste computador, outros computadores no mundo ao qual eles realmente tinham interesse de piratear e roubar dados.

Depois do trabalho executado eles desconectavam do satélite, e íam embora para casa sem levantar nenhuma suspeita, no final das investigações sobre o roubo de dados, quando por acasa eles eram detectados, a única coisa que se descobria era o computador que foi invadido pelos hackers para servir como base para roubo de dados.

Nem que havia sido usado uma conexão a este computador através de um satélite os investigadores descobriam, até que a Kaspersky conseguiu descobrir todo o modo de operação e chegou ao uso dos satélites por parte dos russos.

Não, os hackers não foram presos e muito menos se conseguiu fechar os TPs inseguros nos satélites, mas a Kapersky está tentando usar a sua experiência para proteger os seus clientes contra este tipo de ataque.

A técnica usada pelos russos é tão sofisticada e semelhante à técnica usada pelos piratas da tv por assinatura, que também se aproveitam de satélties com TPs vulneráveis, só que neste caso, para enviar dados que permitem aos seus clientes assistir aos canais da tv por assinatura sem pagar nada.