GOOGLE DIZ QUE YOUTUBE NÃO É PARA MENORES APÓS SER DENUNCIADO NOS ESTADOS UNIDOS

1202

E o Youtube está novamente no olho do furacão nos Estados Unidos após a plataforma ter sido denunciada por 23 entidades de proteção às crianças, o motivo é que a plataforma está armazenando dados sobre as crianças menores de 13 anos que acessam a plataforma sem a ciência e nem a anuência dos pais, o que é uma violação de privacidade grave nos Estados Unidos e pode render um bom processo à plataforma por se tratar de informações sobre menores de idade.

A coisa ficou ainda mais estranha quando o Youtube resolveu soltar uma nota para se “proteger” das acusações, na nota a plataforma do Google diz que o Youtube não é uma plataforma para menores de 13 anos de idade e que portanto, a culpa por tais violações é dos pais, já que o Youtube fornece uma plataforma voltada para as crianças, o Youtube Kids, plataforma esta que contratou recentemente 10.000 moderados para filtrar manualmente os vídeos que são ou não impróprios para o público desta idade.

    COLOQUE seu nome e e-mail abaixo para receber nossas notícias. +100 MIL PESSOAS já cadastradas!!!
    CHEQUE AGORA SUA CAIXA DE ENTRADA para ativar a inscrição no e-mail de confirmação que foi enviado para você

A tal explicação no entanto não aliviou a barra do Youtube no caso, lá nos Estados Unidos como em outras partes do mundo, inclusive no Brasil, o Youtube Kids não pegou e é uma plataforma muito pouco acessada, ficando mesmo à cargo do Youtube receber a audiência das crianças. Desta feita, o Youtube tem se beneficiado das informações que recolhe sobre as crianças que acessam a plataforma para lucrar mais com publicidade direcionada para estas crianças.

Em resumo o Youtube sabe quais propagandas ou não as suas crianças irão assistir ou pular no Youtube, sejam estas propagandas voltadas ou não para o público infantil.

Mas ele também sabe informações muito mais sensíveis como a estimativa da idade da criança que está acessando o Youtube, mesmo que esteja usando o celular dos pais, bem como o número do telefone que está assistindo determinado conteúdo.

Ainda não se sabe que rumos vai tomar este caso e se pode vir a provocar uma onda de boicotes contra o Youtube, mas uma coisa é certa, enquanto a plataforma vai apanhando já há concorrentes fortes que estão se aproveitando das brechas deixadas pelo Youtube para ganhar espaço em nichos como as lives para gamers e a formação de uma forte comunidade em torno deste tipo de produtor de conteúdo, é o caso do Twitch que já abocanhou uma grande fatia deste segmento nos Estados Unidos, é frequentado por crianças e adolescentes e por enquanto tem se mantido longe de polêmicas.