FURACÃO IRMA RASGA ROUPA DE REPORTER AO VÍDEO NA GloboNews

2880

A cobertura que a reportagem da Globo tem feito do Furacão Irma tem causado algumas polêmicas nos últimos dias, mas um fato bastante curioso e engraçado acabou se destacando em relação à irritação que parte do público está tendo com os repórteres que são acusados de demonstrar “muita felicidade” na cobertura das tragédias trazidas no rastro do Irma.

Durante um link ao vivo em que participavam duas reportéres em uma inserção no canal GloboNews, apesar de as profissionais estarem em um lugar abrigado, a força do vento foi tão grande que rasgou a calça que uma delas estava vestindo.

As repórteres eram Carolina Cimente e Sandra Coutinho.

As duas repórteres estavam em Miami tentando passar informações sobre a passagem do Furacão Irma pela cidade, enquanto a repórter Carolina Cimente tentava falar das dificuldades enfrentadas pelos brasileiros para conseguir ajuda durante a passagem do furacão por Miami a repórter Sandra Coutinho a interrompeu para falar sobre a situação em que estava a sua calça:

    Deixe agora seu nome e e-mail para receber de graça nossas notícias. 94 MIL PESSOAS já recebem. APROVEITE!!!
    Você deixou seu nome e e-mail? Chegou um e-mail lá na sua Caixa de Entrada pedindo para você confirmar, FAÇA ISTO AGORA ok?

– Carol, eu acho que a sua calça foi estraçalhada pelo vento, olha isso… (mais abaixo aqui nesta página está o vídeo com este momento para você assistir, quando acabar de ler a matéria role a página mais para baixo para encontrar este vídeo).

Nas redes sociais várias pessoas que estava assistindo à GloboNews no momento do incidente postaram mensagens preocupadas com a integridade física das repórteres.

Apesar de a calça da repórter Carolina Cimente ter ficado bastante danificada ela também informou via redes sociais que estava usando peças sobressalentes por baixo devido às péssimas condições climáticas.

Por esta a Globo não esperava mas é um bom sinal de que é preciso investir em roupas melhores para seus profissionais quando eles são submetidos a condições tão severas quanto os ventos que estavam em 210 Km/h no momento da reportagem.

Role esta página mais abaixo para ver o vídeo com o momento que citamos aqui.